CAMPO ABERTO – VETERINÁRIOS EM PÉ DE GUERRA

Fechou o tempo no Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS). A divisão teve o auge na semana passada, quando o presidente Air Fagundes dos Santos colocou em votação a intenção de assinar convênio com a Secretaria da Agricultura para treinar profissionais que trabalharão na inspeção de produtos de origem animal no Estado, que poderá ser terceirizada. Foi derrotado por 6 a 1, mas cassou a decisão da plenária. Com isso, o conselho votará o tema novamente.

Os opositores da posição do presidente, colegas da chapa vencedora da eleição do conselho, no ano passado, lembram que um dos posicionamentos do grupo à época era ser contra a privatização do trabalho em indústrias de carnes e leite.

– Está todo mundo se perguntando o porquê dessa posição do presidente – diz Paulo Ricardo Centeno Rodrigues, tesoureiro do CRMV-RS, repetindo questionamento da Associação dos Fiscais Agropecuários do Estado (Afagro).

O secretário estadual da Agricultura, Ernani Polo, avalia que, com a terceirização aprovada, nada melhor do que o CRMV, responsável por fiscalizar a profissão, treinar os veterinários para tarefa. Os posicionamentos pré-eleitorais, pondera o secretário, são um problema interno da entidade.

Em nota, Fagundes alega que, diante da mudança na legislação, cabe ao conselho ajudar na inspeção e fiscalização dos produtos de origem animal no Estado.

Excesso de arroz no mercado não é exclusividade do Brasil. A China confirmou que pretende reduzir a área plantada em 2,2%, o equivalente a 670 mil hectares. Inédita, a atitude tenta conter o crescimento dos estoques no segundo maior produtor do grão no mundo.

caio.cigana@zerohora.com.br

CAIO CIGANA

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *