CAMPO ABERTO – TOMANDO AS RÉDEAS

Respondendo por mais de 70% das vendas de animais na Expointer, os criadores de cavalo crioulo (foto ao lado) sentiram a crise. Somaram R$ 7,85 milhões em comercialização, queda de 10% em relação a 2016.

– A gente sabe que o país passa uma fase difícil. Mas outros negócios têm queda de até 30% – explica Eduardo Suñe, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

A procura de criadores do Exterior, favorecidos pela questão cambial, e de outros Estados, é a razão apontada para a facilidade de vendas. Para o ano, a entidade projeta superar a barreira dos R$ 93,4 milhões registrada em 2016 .

– Talvez tenhamos preços menores, mas com liquidez – reforça Suñe.

Em público, a ABCCC somou cerca de 95 mil pessoas nas ações da raça. O Freio de Ouro atraiu 15 mil pessoas.

gisele.loeblein@zerohora.com.br zerohora.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *