CAMPO ABERTO – Terroir contra tempo adverso

O terroir de Pinto Bandeira, além de contribuir para a conquista do título de primeira Denominação de Origem (DO) de espumantes pelo método tradicional do Novo Mundo, que pode ocorrer ainda este ano, também auxilia as uvas em épocas de mau tempo.

É o que garante Daniel Geisse, diretor da vinícola Cave Geisse:

– Os solos fragmentados permitem que as plantas tenham raízes mais profundas. Assim, os parreirais sofrem menos com falta ou excesso de chuva.

Outro diferencial é o fato de as variedades destinadas à produção de espumantes estarem maduras em janeiro. Ou seja, as frutas já estavam mais desenvolvidas no período de estiagem no Estado.

– Todo ano conseguimos fazer um bom espumante pela maturação precoce, pois colhemos na segunda quinzena de janeiro. Já os tintos são colhidos no final de fevereiro, início de março, época com histórico de mais chuva e noites frias – detalha Daniel Panizzi, diretor da vinícola Don Giovanni, também de Pinto Bandeira.

OS FISCAIS

Os fiscais estaduais agropecuários organizaram ato na Praça da Matriz, ontem, para pressionar o governador Eduardo Leite e deputados a retirarem o pacote que altera as regras para o funcionalismo. A orientação é de que as inspetorias permaneçam fechadas esta semana, enquanto durar a votação.

karen.viscardi@zerohora.com.br

KAREN VISCARDI – INTERINA

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *