CAMPO ABERTO – TECNOLOGIA À VISTA

Soluções e inovações desenvolvidas para as lavouras de arroz formam uma vitrine de encher os olhos do produtor na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa, em Capão do Leão, onde ocorre a 29ª Abertura Oficial da Colheita de Arroz. Ontem, foi dia de apresentar a prata da casa: BRS Pampa CL, cultivar desenvolvida pela Embrapa Clima Temperado, que estará comercialmente disponível na safra 2019/2020.

– Progredimos no gene de resistência ao herbicida para controle de arroz vermelho. Ao mesmo tempo, mantêm-se as características da cultivar convencional, de produtividade, precocidade no ciclo, que leva ao uso mais eficiente da água e resistência às principais enfermidades na lavoura – explica o engenheiro agrônomo Ariano Magalhães, da área de melhoramento genético.

É por meio de pesquisas que se tenta chegar a cultivares resistentes a fatores de estresse como frio, salinidade e excesso de submersão. Tudo para minimizar perdas como as deste ano – no arroz, serão 683 mil toneladas a menos em razão do excesso de chuva registrado no Estado.

– Mesmo o produtor tendo dificuldades de acesso a crédito e com altos custos de produção, ele continua buscando novas tecnologias. É esperançoso em dias melhores, quer colher mais para melhorar a renda e buscar saídas para a crise – avalia Guinter Frantz, presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga).

NO RADAR

Deve sair em março reunião em Brasília com o ministro da Agricultura do Paraguai. O encontro foi proposto pela colega brasileira, Tereza Cristina, que repassou a informação aos secretários de Agricultura, entre os quais o do RS. A pauta envolve a produção de arroz e as assimetrias do Mercosul.

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *