CAMPO ABERTO – REFORÇO NO PRATO DA CASA

Os efeitos negativos do embargo da União Europeia, da greve dos caminhoneiros e da sobretaxa da China refletiram em queda de 25% nas exportações de frango no Estado. Foram aproximadamente 554 mil toneladas embarcadas no ano passado, enquanto em 2017 esse total somou 743 mil toneladas. Redução que também influenciou o faturamento, que fechou 2018 com US$ 860,35 milhões, queda de 28%.

O Rio Grande do Sul foi o mais impactado nesse cenário porque, como lembra o presidente da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), Nestor Freiberger, a BRF teve unidades no Estado descredenciadas para exportação à União Europeia no ano passado. A empresa é proprietária das marcas Sadia e Perdigão, e uma das grandes responsáveis pelas vendas de frango do país.

– Na época, outros frigoríficos entraram, mas não supriram – afirma Freiberger.

Para dar a volta por cima, a solução, segundo Freiberger, é focar ainda mais no mercado interno. O objetivo é estimular o consumo no país para suprir as perdas geradas pelo mercado internacional.

A exportação de ovos, por sua vez, registrou aumento de 60%. No ano passado, o setor exportou volume de 3,94 mil toneladas.

CAMPO ABERTO

Fonte : Zero Hora

Compartilhe!