CAMPO ABERTO – RECURSOS VIERAM, MAS SERÃO SUFICIENTES?

A passagem do presidente Jair Bolsonaro pela Agrishow não decepcionou a torcida. Recebido com entusiasmo, como relata a repórter Joana Colussi, que acompanha a feira ao longo da semana, devolveu a gentileza com um sem número de afirmações que era tudo o que o produtor rural queria ouvir da relação do setor com o meio ambiente até a posse de armas em propriedades. E, em uma feira que tem nas vendas de máquinas seu principal negócio, foi munido de anúncios.

Falou na liberação de R$ 1 bilhão pelo Banco do Brasil para investimentos ainda nesta safra. Além disso, acenou com outro R$ 1 bilhão para subvenção ao seguro rural no próximo ciclo.

– Vocês do campo precisam de ajuda – disse o presidente na cerimônia de abertura da feira, realizada em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Antes disso, havia sido a vez da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciar um acréscimo de R$ 500 milhões para os financiamentos do Moderfrota. A linha é a principal ferramenta de aquisição de máquinas e estava com recursos esgotados desde o último dia 11.

– Rapamos o tacho. É pouco esses R$ 500 milhões? É. Mas já ajuda – afirmou Tereza Cristina.

O BNDES reabriu o Moderfrota para novas operações e disponibilizou a cifra de R$ 536 milhões. Com esse aporte extra, o programa passou de R$ 7,6 bilhões para R$ 8,1 bilhões no ciclo 2018/2019.

As quantias liberadas poderão dar conta do recado durante a mostra, que termina na sexta-feira. Mas, pelos cálculos do setor, que falava na necessidade de R$ 2,5 bilhões extras, não devem ser suficientes até o fim do atual Plano Safra, em 30 de junho.

– Esses R$ 500 milhões terminam no final da tarde de hoje – disse Carlos Aguiar Neto, diretor de agronegócio do Santander, em relação ao reforço feito no Moderfrota.

O Plano Safra do período 2019/2020, que deverá ser lançado em 12 de junho, também apareceu nos discursos. Tereza Cristina afirmou estar em tratativas diretas com Paulo Guedes para que o orçamento da União "contemple as principais reivindicações do setor":

– Estamos trabalhando dentro desse orçamento apertadíssimo e engessado. Queremos o melhor Plano Safra possível. Vocês terão surpresa agradável.

JOANA COLUSSI*

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *