CAMPO ABERTO – PRODUÇÃO QUE É UM ESTOURO

É de uma propriedade gaúcha o recorde de produtividade em lavoura de milho pipoca em 2017/2018. Os irmãos Alexandre e Otto Gerhardt, da Fazenda Aldebaran, de Carazinho, conseguiram 136,4 sacas por hectare e receberam reconhecimento da General Mills, dona da marca Yoki.

Levaram para casa também o troféu de benchmarking, pelo resultado das três últimas safras. A média do Rio Grande do Sul é de 80 sacas por hectare. O desempenho dos Gerhardt também bateu, segundo Alexandre, o produtor top dos Estados Unidos, que alcançou 130 sacas por hectares.

Na Fazenda Aldebaran, dos 552 hectares de grãos, 160 são dedicados ao milho pipoca.

– É uma cultura ainda mais sensível do que o milho tradicional. Investimos em irrigação e na correção de solo. Cirurgicamente, colocamos em cada metro quadrado o que a terra está precisando – conta Alexandre.

A aposta no milho pipoca é mantida há 12 anos, com a produção vendida à Yoki.

O "apagão florestal" é um dos temas que preocupam o setor produtivo e estará em debate em evento que ocorre quinta-feira na Fiergs, em Porto Alegre. Elizabeth de Carvalhaes, presidente-executiva da associação Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), é uma das presenças confirmadas.

SENAI E SIMVET-RS farão o treinamento de veterinários para atuar na inspeção privada de indústrias sob fiscalização estadual. O primeiro curso deve sair a partir de 15 de junho, estima a Secretaria da Agricultura.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *