CAMPO ABERTO – Produção à beira do Guaíba

Seguindo a tendência de hiperlocalismo, uma horta urbana automatizada e rastreável promete tomar forma em Porto Alegre, encurtando a distância entre o local de produção e o consumidor. A expectativa é de que, ainda no primeiro semestre, a Smart Local Farms, como é chamada a estufa modelo (acima), saia do papel em iniciativa conjunta de Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB-RS), Agência de Fomento Social Besouro, Elysios e Instituto Open Food. O espaço está em construção nas dependências da ADVB-RS às margens do Guaíba.

– Vamos colocar sistema de sensoriamento e automação no cultivo para controlar a irrigação e a climatização da estufa, além de ferramenta de software para gestão e implementação de rastreabilidade – explica Frederico Apollo Brito, diretor-geral da AgTech Elysios, provedora da tecnologia.

O objetivo, segundo Brito, é mostrar que é possível utilizar espaços não aproveitados nas cidades para produção de alimentos e geração de empregos. Inicialmente, serão cultivadas variedades de tomates orgânicos. A expectativa, de acordo com Brito, é que o projeto ganhe espaço em outros locais.

A iniciativa também dará oportunidade a apenados do semiaberto, que serão treinados para realizar o cultivo.

– É uma oportunidade para que sejam incluídos à sociedade já com trabalho – afirma Matheus von Muhlen, CEO do Instituto Open Food.

gisele.loeblein@zerohora.com.br 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora