CAMPO ABERTO – POR UMA GESTÃO DE CONTINUIDADE

Com a experiência de quem acumula 50 anos de vida pública e duas passagens pela Secretaria da Agricultura, Odacir Klein quer começar a nova gestão pelo diálogo. Sabe que existem assuntos polêmicos, mas foca na continuidade do trabalho desenvolvido até agora:

– Não estou entrando com o objetivo de jogar para a torcida.

Klein comandou a secretaria nos governos de Pedro Simon e de Germano Rigotto. Foi deputado federal, ministro dos Transportes, diretor do Banco do Brasil, presidente do Banrisul e de entidades do setor. Amanhã ainda tem compromisso como diretor do BRDE. A exoneração deve sair na quinta-feira, e a posse, na próxima semana, com os outros novos secretários do governo Sartori. Veja o que ele diz sobre temas relevantes.

Seja em votação marcada para hoje no Congresso ou em manifestação amanhã, o Funrural voltará ao debate em Brasília. Senado e Câmara devem avaliar hoje os vetos do presidente Michel Temer ao Refis do Funrural.

O setor faz pressão para que pelo menos três pontos do projeto original – e que foram barrados por Temer – sejam retomados: isenção da cobrança do tributo na comercialização entre produtores, desconto de 100% das multas e redução da alíquota.

Segundo Luís Fernando Cavalheiro Pires, assessor da presidência da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), a pressão junto à bancada gaúcha é para que esses três vetos sejam derrubados.

Os produtores têm até o dia 30 deste mês para aderir ao programa. O passivo gerado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) do ano passado é questionado – muitos agricultores deixaram de pagar baseados em avaliação anterior do órgão de que a cobrança do tributo era inconstitucional. A União Democrática Ruralista (UDR) tem manifestação marcada para amanhã, em frente ao Congresso. NAS MÃOS DO CONGRESSO

Sei que tem assuntos polêmicos, como a questão da exportação do gado em pé. Acho que a Farsul tem um discurso correto, que é o da liberdade de comércio. Não estou estabelecendo prioridade, porque ao fazer isso, você secundariza os outros temas. PRIORIDADE

A vacina (contra a febre aftosa) terá de ser retirada, não vejo como não retirar. Me parece que o Polo (Ernani Polo, ex-secretário) conduziu bem o processo. Mas se há posições contrárias, é porque existem preocupações que têm de ser examinadas. A cronologia da retirada tem ser discutida.

RETIRADA DA VACINA

SETORES EM CRISE

Há problemas no arroz, no trigo, no milho, em diversos setores. Teremos de sentar e resolver. Se tem algo que posso fazer com muita força, é ajudar na integração dos setores e na reivindicação do que depender da área federal, pelo trânsito que tenho em Brasília.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *