CAMPO ABERTO – NÃO SE MEXE EM TIME QUE TÁ GANHANDO

Pela oitava vez consecutiva, Nei César Mânica estará à frente da Cotrijal, uma das gigantes do ramo agropecuário, com sede em Não-Me-Toque, no Norte. A escolha ocorreu em assembleia na quarta-feira, quando 97,5% dos mais de mil associados presentes votaram a favor da reeleição.

Depois de 23 anos na presidência, Mânica, que também é xerife da Expodireto, feira que começa no dia 11, falou pela primeira vez em sucessão:

– Não adianta trocar por trocar. Tem que trocar quando não funciona. Mas é preciso haver projeto de sucessão, e já estamos trabalhando nisso.

O apoio expressivo é atribuído pelo dirigente à transparência da gestão e ao crescimento da cooperativa. Quando assumiu, em 1995, a Cotrijal estava presente em seis municípios. Hoje, são 32. Mânica também celebra o faturamento de 2018 – foram R$ 2,3 bilhões, 38% a mais do que no ano anterior – e lembra que se passaram 57 anos até a cooperativa chegar a R$ 1 bilhão de faturamento, obtido em 2014.

Aos 66 anos, fala de planos, como criar centro de treinamento e museu do agronegócio brasileiro. E fala do sonho de transformar a produção da cooperativa a ponto de ver nascer parque industrial.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *