CAMPO ABERTO – NA VELOCIDADE DOS PREÇOS

Se os negócios de máquinas e equipamentos agrícolas começaram o ano andando para trás, em fevereiro tiveram desempenho um pouco melhor. Dados divulgados pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostram que, em relação a janeiro, houve alta de 49,7% na comercialização de unidades – foram 2,4 mil ante 1,6 mil. No acumulado do ano, no entanto, há recuo de 30,2%, e na comparação com igual mês do ano passado, a queda é de 22,5%.

Mas a projeção é de que a marcha lenta do mercado brasileiro fique para trás. O que alimenta essa perspectiva é a valorização das commodities.

– Com a elevação recente do preço da soja, o agricultor que ainda tinha estoque do grão deve vender – pondera Claudio Bier, presidente do Sindicato de Máquinas e Implementos Agrícolas do Estado (Simers).

Bier trabalha com perspectiva de crescimento de 10% nos negócios da Expodireto em relação ao ano passado, quando o faturamento alcançou R$ 2,1 bilhões. Mais otimistas, os dirigentes da Cotrijal projetam alta de 20%.

Ontem, no segundo dia de feira, o movimento nos estandes das fabricantes foi intenso. Pelo menos para aquela olhadinha básica. A indústria torce ainda por corte na taxa de juro.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *