CAMPO ABERTO – Mais vermelhas e doces

As primeiras semanas da colheita de maçã no Estado já indicam que a safra deve chegar a mais de 500 mil toneladas. A estimativa para o ciclo é do presidente da Associação Gaúcha dos Produtores de Maçã (Agapomi), José Sozo. O volume é superior ao do ano passado, quando foram colhidas 495 mil toneladas.

Fatores como florada mais homogênea e crescimento de 15% na produção da variedade gala (foto) alimentam o resultado esperado. Porém, segundo o dirigente, o calibre das frutas pode ser menor, especialmente em regiões impactadas pela estiagem.

– A fruta está com qualidade e nível de açúcar superior ao do ano passado, o que a deixa mais saborosa – afirma Sozo.

As expectativas também são positivas para a Rasip, uma das maiores produtoras da fruta no país. A empresa, do Grupo RAR, planeja comercializar 80 mil toneladas de maçã em 2020.

– O tamanho está menor em razão do inverno ameno e do período de estiagem. O lado positivo é que as frutas estão lisas e com tom mais avermelhado devido à variação de temperatura – explica Alecir Webber, gerente de fruticultura e packing house da Rasip.

A empresa de Vacaria, na Serra, cultiva 1,1 mil hectares de maçã e tem como meta exportar entre 10% e 20% da produção. Até 2021, o objetivo é aumentar em até 15% a área plantada.

Atualmente, a maçã ocupa 14 mil hectares no Estado, com destaque para a variedade gala.

R$ 4,6 bilhões

foi a quantia movimentada por produtos orgânicos em 2019 no Brasil, segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis). O resultado é 15% superior ao ano anterior, quando o setor alcançou faturamento de R$ 4 bilhões.

Arroio do Sal, no Litoral Norte, promoverá a Fest Feira Sabores da Uva, de amanhã até 16 de fevereiro. Os agricultores irão vender seus produtos em bancas, sem intermediário, das 15h à meia-noite. Haverá, ainda, gastronomia especial, artesanato e atrações culturais.

Foi entregue ao Banco Central resultado de fiscalização Dos serviços de comprovação de perdas em municípios no Sul e no Nordeste referentes ao Proagro. Relatório aponta necessidade de aperfeiçoar as avaliações para evitar falhas na apuração.

karen.viscardi@zerohora.com.br

KAREN VISCARDI – INTERINA

Fonte : Zero Hora

Compartilhe!