CAMPO ABERTO | Joana Colussi COM DESFECHO POLÍTICO, CAMPO MIRA CRESCIMENTO

 
  •  

    Por coincidência de calendário, o afastamento definitivo da ex-presidente Dilma Rousseff foi sacramentado justamente durante a maior feira agropecuária do Brasil. Crítico ferrenho do governo da petista, o agronegócio foi um dos primeiros setores a se posicionar a favor do impeachment provocando inclusive rachas com líderes dissidentes. Reunidos na 39ª Expointer, em Esteio, representantes do setor receberam a notícia com um misto de alívio e expectativa de retomada do crescimento.
    – O Brasil já teve experiências de governos muito eficientes. Era preciso mudar – comemorou Alysson Paulinelli, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho).
    Paulinelli aguardava a definição do futuro político do Brasil para dar continuidade ao estudo que está coordenando para a criação de um fundo privado para o seguro rural.
    – Muitas ideias estavam traçadas há quase dois anos, mas não existia ambiente político para levar adiante – disse Paulinelli, que pretende concluir o projeto para entregar ao novo governo em no máximo 90 dias.
    Logo que terminou a sessão histórica no Senado em Brasília, no começo da tarde de ontem, o presidente da Federação da Agricultura no Estado (Farsul) conversou com a imprensa no parque Assis Brasil.
    – Queremos que o Brasil volte à normalidade e ao crescimento, e o agronegócio está preparado para desempenhar a sua posição. É uma etapa vencida, vamos olhar para frente – disse Carlos Sperotto, já projetando ações relacionadas a abertura de mercados.
    Presidente da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber destacou que o desfecho político devolverá a tranquilidade ao país:
    – A incerteza não era favorável para ninguém. Nós, do agronegócio, também sentimos as dificuldades de toda essa instabilidade.

    _____

    CAMPEÃO PELA 1ª VEZ
    Um dos julgamentos mais aguardados em Esteio, o da raça angus, teve os vencedores machos conhecidos ontem. O touro Bigua 6463 Density TE (foto acima), da Estância Santa Amélia, de Santa Vitória do Palmar, foi o grande campeão.
    Esse foi o primeiro título de grande campeão na Expointer da Estância Santa Amélia, que cria o animal em parceria com a cabanha uruguaia Bayucuá.
    – É um trabalho de muitos anos, iniciado ainda pela minha avó – contou Otávio Souza, gerente da cabanha.
    A conquista do reservado de grande campeão foi cercada por emoção para a família Pons, de Uruguaiana. O vencedor foi o touro FP Santa Angela 291, da Cabanha Santa Angela, cujo proprietário, José Luiz Marona Pons, 67 anos, morreu há um mês, vítima de infarto.
    – Meu pai sempre foi meu professor. Tudo que aprendi foi com ele – disse, emocionado, o filho Frederico Fittipaldi Pons, 39 anos.

  • NO RADAR

    A possibilidade de uma legislação sanitária brasileira unificada será discutida na Expointer amanhã. A audiência pública será promovida pela Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, presidida pela senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS).

  • DESTREZA FEMININA

    Com provas todos os dias na Expointer, a raça árabe tem uma dedicada apenas a mulheres. A destreza feminina é testada na pista nas categorias adulta e jovem. Entre as menores, a vencedora foi Iasmim Peres (foto ao lado), 12 anos, de Capivari do Sul. A menina montou a égua Droya Pegasus, cega de um olho.
    – Ganhei do meu pai, de surpresa. E depois ela teve o problema no olho – contou Iasmim.
    Incentivada pelos pais, Moisés e Rosane, nas provas equestres, Iasmin passou a montar com dois anos, por estímulo de um vizinho. Entre as amazonas adultas, a vencedora foi Fabiane Prates, do Referencial Centro Equestre, de Guaíba.

  • DADO SUÑE GANHA DISPUTA NA ABCCC

    Com 53% dos votos, Dado Suñe ganhou a competição travada com o primo Marcelo Moglia pela presidência da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Suñe fez 803 votos, de um total de 1.521 votantes. Moglia teve 708 votos.
    A disputa entre os primos nascidos em Bagé movimentou os crioulistas nos últimos meses. Vice-presidente da entidade, Suñe representava a situação. Moglia defendia a renovação do comando da ABCCC. A vitória foi comemorada por apoiadores de Suñe no parque Assis Brasil.

  • Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *