CAMPO ABERTO – GUERRA DE VERSÕES

Teve até falsa bomba a sessão de ontem da comissão especial da Câmara dos Deputados que avalia o projeto de lei que altera as regras dos agrotóxicos. Em nota, a Casa informou ter encontrado "uma simulação grotesca de artefato explosivo".

Um sinal sonoro foi ouvido no início da sessão. Mas foi só ao término que a presidente da comissão, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), contou que uma mala com simulação de uma bomba havia sido encontrada no plenário. Ela classificou o ato como "uma brincadeira de mau gosto".

De fato, o tumulto e a falta de informação não ajudam a ninguém.

A votação do substitutivo do relator Luiz Nishimori (PR-PR) não saiu. Mas a posição dos parlamentares é conhecida. Veja abaixo como devem votar os parlamentares gaúchos da comissão.

A favor

Os registros hoje são muito complexos, demorados. Há países em que em cinco, seis meses aprovam. Aqui leva muito tempo. Todos os entraves estão dentro da lei. Não sou contra orgânico, mas a escala é pequena. Tem de haver espaço para o orgânico e para o convencional.

Luis Carlos Heinze (PP)

Temos de flexibilizar a lei. É preciso ter todos os controles, mas não dá para ficar com uma lei antiga.

Jerônimo Goergen (PP)

Entendo que o principal é que trazendo novas tecnologias e diminuindo a burocracia, isso vai trazer mais segurança alimentar.

Covatti Filho (PP)

Com certeza votarei favorável, porque todas as pesquisas responsáveis dizem que o projeto moderniza o sistema e gera absoluta segurança na aplicação. A Anvisa tem 12 mil processos empilhados. Estamos usando materiais obsoletos.

Alceu Moreira (MDB)

contra

Tem coisas que poderiam ser feitas para Anvisa, Ibama e ministério reduzirem o prazo de análise. Poderíamos achar um meio termo. Nossa manifestação contrária também é porque foi tudo atropelado, não fizeram audiência pública. Faltou ouvir muita gente.

Heitor Schuch (PSB)

Com certeza voto contra. A legislação fica mais branda em relação à atual e é inconstitucional. Estão liberando parâmetros. É uma ilusão e tentativa de enganar tanto o consumidor quanto o produtor em relação à troca de nome. Para mim, moderno é ter comida limpa.

Bohn Gass (PT)

Hoje votaria contra, em razão de alterações que precisam ser feitas para melhorar mais ainda o projeto.

Afonso Motta (PDT)

DESTAQUE NA PRODUÇÃO NACIONAL, O ESTADO PODERÁ GANHAR A ROTA DAS OLIVEIRAS. PROJETO FOI PROTOCOLADO NA ASSEMBLEIA PELO DEPUTADO ERNANI POLO (PP). BAGÉ, BARRA DO RIBEIRO, CACHOEIRA DO SUL, CAÇAPAVA DO SUL, CANDIOTA, CANGUÇU, DOM FELICIANO, DOM PEDRITO, ENCRUZILHADA DO SUL, PINHEIRO MACHADO, PIRATINI, ROSÁRIO DO SUL, SANTA MARGARIDA, SANTANA DO LIVRAMENTO, SÃO GABRIEL, SÃO SEPÉ, SENTINELA DO SUL E VILA NOVA DO SUL SÃO OS MUNICÍPIOS QUE FAZEM PARTE DA PROPOSTA.

gisele.loeblein@zerohora.com.br

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora