CAMPO ABERTO – GRUPO DE TRABALHO DO 2,4-D PODE COMEÇAR COM AUSÊNCIAS

Marcada para amanhã, a primeira reunião do grupo de trabalho sobre o herbicida 2,4-D poderá começar com ausências importantes. Até a tarde de ontem, representantes das entidades de produtores de uva e de maçã, por exemplo, duas das culturas mais afetadas pela deriva do produto, não haviam recebido convocação para o encontro. A secretaria diz ter enviado correspondências e que, diante da informação de que não haviam sido recebidas, reforçaria o convite por e-mail e telefone.

Para o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), a chamada deve ser feita também pessoalmente, já que a entidade tem reunião marcada para hoje com o secretário da Agricultura, Covatti Filho.

É fundamental que representantes dos produtores de uva, maçã e azeitonas estejam presentes. Começar o debate de propostas sem eles não faz o menor sentido. São os agricultores dessas culturas que estão sentindo os impactos do 2,4-D.

O grupo de trabalho foi criado no final de fevereiro por meio de decreto, com o objetivo de buscar o caminho da conciliação para o problema. E já na largada houve polêmica, justamente porque o documento não previa na composição integrantes dos setores atingidos. Estavam nominados ministérios públicos Estadual e Federal, Ministério da Agricultura, Embrapa, Emater, Federação da Agricultura do Estado (Farsul), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS) e Famurs.

– Nessa primeira reunião, como presidente do grupo, comunicarei a inclusão das entidades das culturas afetadas como integrantes – garante Covatti Filho.

Na semana passada, o secretário esteve reunido com o promotor Alexandre Saltz, do Ministério Público (MP), para apresentar sete medidas sugeridas para tentar aplacar o problema causado pela deriva.

O debate sobre o problema causado pelo produto, aplicado nas lavouras de soja para o controle de ervas daninhas, ganhou força com a confirmação de resíduo do produto em análises feitas por técnicos da secretaria. Foram 69 amostras com presença de 2,4-D de um universo de 81 analisadas em 23 municípios do Estado.

Além da reunião do grupo de trabalho, outro encontro sobre o tema, uma audiência vinculada ao inquérito civil do MP, está marcado para a próxima terça-feira.

NOVO COMANDO

A subsecretaria do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, está sob nova direção. O médico veterinário José Arthur Martins, que atua na Secretaria da Agricultura há 43 anos, será o novo titular do cargo. O anúncio foi feito na tarde de ontem por Covatti Filho.

Martins deve "se apresentar para o serviço" hoje, para dar início ao período de transição. Até então, o cargo se mantinha com Sérgio Bandoca Foscarini, que esteve no comando da subsecretaria durante todo o governo de José Ivo Sartori.

O novo responsável pelo parque iniciou o trabalho na secretaria em 1976, como vacinador. Depois se formou em Medicina Veterinária e passou a exercer essa função na pasta. Passou pelas inspetorias veterinárias de São Luiz Gonzaga e Rio Grande. Em gestões alternadas, soma 14 anos como chefe do Serviço de Exposições e Feiras da Secretaria da Agricultura. Chegou a receber convite para ficar à frente da subsecretaria do parque em 1999, mas acabou não assumindo a função.

Agora, a orientação recebida é para que preparar o terreno para os dois eventos de maior peso realizados no Assis Brasil: a Expoleite/Fenasul, de 15 a 19 de maio, e a Expointer, de 24 de agosto a 1º de setembro.

– Dei a ideia de, já neste ano, lançar as comemorações dos 50 anos do parque, que serão completados em 2020 – acrescenta.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Compartilhe!