CAMPO ABERTO | Gisele Loeblein

 

  • NOVA OPERAÇÃO DO LEITE CHEGA ANTES DE MINISTRO

    Do encontro que teve no Ministério da Agricultura, representante do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado (Sindilat-RS) saiu com uma possibilidade animadora. O gaúcho Neri Geller, titular da pasta, disse que tinha intenção de vir ao Rio Grande do Sul na próxima semana, entre terça e quarta-feira, para tratar do assunto leite.
    Secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini diz que na reunião de ontem foi reforçada a preocupação do setor com a desvalorização das marcas gaúchas no mercado nacional, em razão das fraudes apontadas por operações do Ministério Público Estadual (MPE). Também foram abordadas as propostas protocoladas em abril com objetivo de reforçar a vigilância sobre o produto. Uma seria o descredenciamento do sistema de controle de produtores flagrados em adulterações.
    – Estão anunciado uma sexta operação e ainda existem perguntas sem respostas sobre a quinta etapa – afirma Palharini em relação a já confirmada continuidade das ações do MPE.
    A pergunta a que se refere Palharini é se o leite com problemas das marcas flagradas na quinta fase da Operação Leite Compen$ado – Pavlat e Hollmann – chegou ou não ao varejo. O promotor Mauro Rockenbach afirma que essa resposta já foi dada. Foram recolhidos lotes da Pavlat em Santa Catarina. As contraprovas recolhidas na empresa na operação, em 8 de maio, referentes a dias anteriores, são outro indicativo de que produto foi para o mercado. Além disso, afirma o promotor, as duas indústrias receberam cargas adulteradas conforme comprovações de análises feitas pelo Ministério da Agricultura.
    Sobre possível vinda do ministro, Rockenbach afirmou:
    – Até acho que está demorando. Quem sabe ele vem participar da sexta etapa da operação.
    Um compromisso com a presidente Dilma Rousseff na próxima semana não deve permitir que isso ocorra segundo informou ontem à tarde a assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura. A operação, ao que parece, virá antes do ministro.

  • ALIÁS

    O Sindilat já sinalizou que deve questionar judicialmente a cobrança da contribuição da indústria para o Fundoleite. O recolhimento será feito a partir da assinatura do convênio entre Instituto Gaúcho do Leite e Secretaria da Agricultura, que deve sair nos próximos dias.

  • AVANÇA PROPOSTA PARA O TRIGO

    Com o aval do governador Tarso Genro, a discussão sobre o pedido para redução do ICMS nas vendas interestaduais vai parar na Câmara Setorial do Trigo da Secretaria da Agricultura. A reunião está programada para sexta-feira. Há uma preocupação em ouvir também a posição da indústria gaúcha sobre a medida.
    Para sustentar a solicitação de diminuição, de forma permanente, da alíquota de 12% para 2%, a Federação da Agricultura do Estado apresentou um estudo elaborado pela assessoria econômica da entidade. A conclusão, explica o economista Antônio da Luz, é de que a arrecadação foi praticamente a mesma nos anos em que se cobrou 12% e nos anos em que a taxa foi de 2%. AVANÇA

  • Agora falta só a entrega. O termo de cooperação técnica assinado ontem entre Fetag-RS e Secretaria da Saúde era a etapa que faltava para o início da distribuição gratuita de protetores solares a agricultores familiares. Os 300 mil frascos já comprados devem estar disponíveis aos produtores a partir do próximo dia 10.

  • REFORÇO 100%

    A Assembleia derrubou veto parcial do Executivo à proposta que prevê equiparação da gratificação dos fiscais estaduais agropecuários à dos profissionais da saúde.
    – A gente faz saúde pública. Nosso trabalho garante a qualidade dos alimentos – diz Antonio Medeiros, presidente da Afagro.
    O avanço até 100% de gratificação será gradual, com cronograma aprovado que vai até 1º de abril de 2016.

  • A comercialização da atual safra de soja do Brasil alcançou
    72%
    segundo dados da Safras & Mercado. No Rio Grande do Sul, o volume vendido
    chega a 49% do total colhido.

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!