CAMPO ABERTO – FUNDO PRIVADO PARA FINANCIAR SEGURO

 
  •  

    A criação de um fundo privado para financiar o seguro-agrícola no Brasil poderá solucionar um dos principais desafios da agricultura brasileira, a garantia de renda da produção. Durante o Campo em Debate, promovido no sábado na Casa RBS na Expointer, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, adiantou alguns detalhes do plano que está sendo costurado pelo governo federal, por seguradoras e por entidades do setor. A necessidade de um seguro rural eficiente foi uma das principais indagações dos representantes do agronegócio que participaram do evento, promovido por Zero Hora e Federasul.
    Pelas explicações de Maggi, o plano tem potencial para livrar os produtores dos recorrentes contingenciamentos que prejudicam o programa nacional de subvenção aos prêmios das apólices contratadas por agricultores e pecuaristas. Os recursos necessários seriam alimentados sobretudo por contribuições de tradings, fabricantes e revendedores de insumos, transportadoras e agentes que financiam atividades agropecuárias.
    – A ideia é que a iniciativa privada possa colocar recursos, incluindo os produtores. Tudo é incipiente ainda, mas estamos avançando – garantiu.
    Segundo Maggi, se a ideia prosperar, o seguro- agrícola financiado por um fundo contemplará tanto os financiamentos da produção como a renda dos agricultores – assim como ocorre nos Estados Unidos.
    – Estamos aguardando esse estudo para saber ao certo como o seguro poderá funcionar – resumiu o ministro, acrescentando que o governo continuará subsidiando parte das apólices.
    Em quase uma hora e meia de debate, o ministro foi questionado também sobre política de crédito para aquisição de máquinas, abastecimento de milho para indústrias de aves e suínos, abertura de novos mercados para carne bovina e formas de equilibrar a balança comercial dos lácteos.

    _____
    LOTAÇÃO MÁXIMA
    O primeiro final de semana da Expointer foi de muito público e de velhos problemas. No sábado, a confusão foi no estacionamento dos expositores, que lotou rapidamente. A situação causou revolta entre as empresas, que se reuniram com a organização do parque. No mesmo dia, expositores reclamaram do churrasco feito em meio aos animais, proibido pelo plano de prevenção e proteção contra incêndios, e da presença de camelôs junto às baias de equinos.
    Ontem, foi a vez do público em geral enfrentar longa espera para conseguir acessar o estacionamento. Às 9h30min, o espaço destinado aos carros de visitantes lotou, causando congestionamentos. Cansadas de esperar, algumas pessoas estacionaram em locais proibidos os veículos, que foram guinchados.
    – Enquanto não houver uma área de estacionamento maior, esses problemas irão persistir. É muita gente em um fim de semana como esse para pouco espaço – reconhece Sérgio Bandoca Foscarini, subsecretário estadual do parque Assis Brasil.
    Durante o fim de semana, com temperatura em elevação, mais de 100 mil pessoas visitaram a feira.

  • VOOS DE HELICÓPTERO CANCELADOS NO PARQUE

    Os voos panorâmicos de helicóptero oferecidos ao público na Expointer foram suspensos ontem à tarde pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo o órgão, a aeronave da empresa vencedora da licitação promovida pela administração do parque Assis Brasil não tem licença para operar o serviço. Segundo a Polícia Civil, a companhia foi autuada administrativamente e o serviço foi cancelado.
    – É uma aeronave privada que não pode prestar serviços comerciais, envolve questões de segurança – informou o delegado Francisco Soares, da Divisão de Apoio Aéreo da Polícia Civil.
    Até o começo da noite, a administração do parque não havia sido comunicada sobre a operação.

  • PRESUNÇÃO DO TÍTULO

    Na véspera da conquista do Freio de Ouro 2016, o cavalo Harmonia Temprano teve oito cotas de 5% vendidas em leilão realizado no sábado à noite, em Esteio. No remate da Cabanha Santa Angélica, de Pedras Altas, as cotas do grande campeão macho foram comercializadas no total a R$ 760 mil. O equino já era considerado um dos grandes favoritos ao título. Para os compradores, um baita negócio.

    Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *