CAMPO ABERTO – Estrago menor do que o imaginado

Os números da safra de inverno divulgados pela Emater mostram que o efeito da chuva sobre a produção foi menor do que imaginado. A colheita de 3 milhões de toneladas será a terceira maior da história (somando trigo, aveia, cevada e canola), perdendo para a de 2013 e a de 2016.

No trigo, a produção foi estimada em 2,24 milhões de toneladas, alta de 28% sobre o ano passado. Também é um volume maior do que o projetado no início do ciclo e semelhante ao previsto pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Área e produtividade também foram revisadas para cima: foram 757,3 mil hectares dedicados ao cereal e 2.955 quilos por hectare. Diretor técnico da Emater, Alencar Rugeri lembra que a primeira projeção feita pelo órgão é com base em expectativa de plantio e médias históricas. Ao longo do ciclo, é feito acompanhamento semanal, que retrata de forma mais fidedigna a safra.

– A chuva teve reflexo na qualidade, mas imaginava que o impacto seria maior – observa Rugeri.

O dirigente lembra que, até a segunda quinzena de outubro, as condições climáticas tinham sido "bastante favoráveis". Tanto que se vislumbrava "produção excelente". As precipitações registradas após esse período, no entanto, fizeram, literalmente, entrar água na expectativa. Lavouras de áreas da Serra e do Norte, que estavam prontas mas não haviam sido colhidas, tiveram prejuízo sobretudo na qualidade.

gisele.loeblein@zerohora.com.br 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *