CAMPO ABERTO – ESTIAGEM NO DETALHE

Mais quatro municípios do Estado afetados pela estiagem tiveram decretos de situação de emergência reconhecidos pela União. São Jerônimo, na Região Carbonífera, Cerro Grande do Sul, Canguçu e Arroio do Padre, na Região Sul, engrossam a lista que agora conta com nove municípios. A falta de chuva faz ressurgir os debates sobre a necessidade de investimento em ferramentas capazes de amenizar os efeitos do problema. Produtores garantem ter interesse, mas afirmam que a vontade em investir esbarra em licenças ambientais e no custo.

– Muitas vezes, o produtor não tem porque é caro. No caso da soja, o rendimento não é tão expressivo a ponto de suportar o investimento – pondera o produtor Wilson Jacondino, de Piratini.

Ele conta que, dos 400 hectares cultivados com o grão em Piratini, "180 estão completamente perdidos, cem em situação crítica e 120 à espera da chuva".

Diretor técnico da Fepam, Gabriel Ritter diz que existem 220 pedidos de licença ambiental. Desses, a maioria é para irrigação de arroz. O tempo médio de espera tem sido de 41 dias. Do total, 116 aguardam complementações.

– É importante caprichar no projeto, porque mais da metade tem problemas nesse quesito. E o projeto malfeito duplica o prazo de espera – orienta Ritter.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *