CAMPO ABERTO – DESCONTO GARANTIDO À AGRICULTURA FAMILIAR

O agricultor familiar passará a ter um desconto mínimo de 5% na compra de máquinas e equipamentos agrícolas pelo Mais Alimentos, linha de financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Até então, os descontos oferecidos pelas fabricantes eram flutuantes, variando de acordo com o segmento do produto.

As novas regras, publicadas no Diário Oficial da União nesta semana, incluem ainda alterações no sistema eletrônico de cadastramento dos produtos – como a inclusão mais rápida de equipamentos não listados.

– Essa era uma reivindicação antiga, poder incluir algum produto no programa com menos burocracia – disse Carlos Joel da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag).

Com juro de 2,5% a 5,5% ao ano, o Mais Alimentos é o principal programa de financiamento de máquinas e equipamentos voltado à agricultura familiar. A linha de crédito responde por cerca de 15% das vendas do setor, segundo Claudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers).

Boa parte do alívio que o consumidor brasileiro teve no bolso com o recuo na inflação brotou no campo e foi às custas da renda dos produtores. No acumulado do ano até agosto, o IPCA subiu apenas 1,62%, taxa mais baixa para o período desde 1994, início do Plano Real, mostrou esta semana o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Energia e combustíveis subiram, mas a compensação veio do grupo alimentação e bebidas, que tem um peso de mais de um quarto na composição da inflação oficial do país.

A dobradinha mais comum na mesa dos brasileiros, por exemplo, ficou mais barata. O item cereais e leguminosas, onde estão classificados o arroz e as variedades de feijão, caiu 16,5% ao longo de 2017 (veja mais acima).

Pelos números oficiais, até assar churrasco ficou mais barato. Calculado apenas em Porto Alegre, o carvão vegetal teve uma deflação de 15,5% de janeiro a agosto.

A grande safra colhida este ano foi decisiva para começar a tirar o Brasil da crise. Os efeitos foram sentidos principalmente no primeiro trimestre, quando o PIB da agropecuária cresceu 13,4%. Inflação em queda significa mais renda disponível para as famílias fazerem despesas básicas, como a alimentação. E foi justamente o consumo das famílias que trouxe a boa surpresa do PIB brasileiro no segundo trimestre.

De quebra, o empurrão do campo ajudou o Banco Central a ter espaço para, ao longo do ano, ser mais agressivo no ciclo de corte do juro. INFLAÇÃO

SUBNUTRIDA

A Basf está com vagas abertas de estágio para trabalho com pesquisa e desenvolvimento de produtos agrícolas. O estudante irá atuar nos laboratórios da empresa e nas estações

experimentais distribuídas por Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso. inscrições até 29 de setembro no endereço recrutamento.ciadeestagios.com.br/basf.

joana.colussi@zerohora.com.br

JOANA COLUSSI

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *