CAMPO ABERTO – COM EGO MASSAGEADO, PRODUTOR QUER AÇÕES

Foi com muita segurança e sem interação popular que o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, passou pela Expodireto-Cotrijal. Durante o período em que ficou na feira, houve restrição de acesso ao espaço por onde ele e a comitiva circularam.

O momento de maior naturalidade foi quando, quebrando o protocolo, o general gaúcho decidiu embarcar em um dos carrinhos elétricos para, ao lado do presidente da feira, Nei César Mânica, conhecer de perto alguns pontos do parque.

Cordial e enfático na defesa do agronegócio, o vice de Jair Bolsonaro não decepcionou no quesito reconhecimento do setor.

– Estamos sentindo muito a presença do governo federal na sua pessoa – elogiou Luis Augusto Lara, presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Ciente da importância do terreno em que estava pisando – e da responsabilidade que tinha em mãos como representante do Planalto -, Mourão mostrou conhecimento da realidade do setor primário.

– Temos 5 milhões de produtores rurais, a grande maioria sem acesso às tecnologias. Ministra, Sebastião, a Embrapa tem de apoiá-los – disse o vice-presidente, chamando para a conversa a titular da Agricultura, Tereza Cristina, e o presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, presentes na cerimônia de abertura.

Coube a Tereza Cristina a tarefa de sinalizar que o governo federal direcionará esforços para concretizar o pedido de reforço de R$ 2,5 bilhões no Moderfrota, linha voltada a investimentos em máquinas e implementos. Segundo a indústria, os recursos existentes hoje não devem durar mais do que 30 dias, sendo que o ano-safra termina só em junho.

Por enquanto, o setor tem dado um voto de confiança ao governo federal, até porque vem encontrando as portas abertas para as suas reivindicações. A prova de fogo será transformar toda essa empatia em ações concretas.

SEM CERIMÔNIAS

Depois da partida da comitiva do vice-presidente, o governador do Estado, Eduardo Leite, circulou pelo parque da Expodireto-Cotrijal. Ao lado do presidente da feira, Nei César Mânica, foi até o pavilhão da Agricultura Familiar, onde falou com agricultores junto à ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Em conversa com a coluna, o governador falou sobre novos procedimentos de licenciamentos:

– Estamos identificando as atividades de menor impacto, que hoje passam pelo balcão do governo, para que possam ser transformadas em processos de autodeclaração. Licenciamento por adesão e compromisso, em que o empreendedor e o produtor lancem toda documentação digitalmente e obtenham automaticamente a licença. E o governo terá de ir atrás para fiscalizar.

Leite falou ainda sobre a situação da Emater, que pela primeira vez precisou pagar os salários fora do prazo devido ao atraso no repasse de recursos do governo do Estado. A situação foi normalizada ontem.

– Estamos buscando iniciativas para que o Estado se reequilibre.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Compartilhe!