CAMPO ABERTO – Cargas paradas em meio à greve

Os efeitos da paralisação dos servidores estaduais da Secretaria da Agricultura começam a aparecer em números. Desde o início da greve, na última terça-feira, 510 solicitações de permissões de trânsito vegetal e 264 de guias de livre trânsito não foram atendidas, segundo a Associação dos Fiscais Agropecuários do Rio Grande do Sul (Afagro). Sem os documentos, caminhões com produtos como maçã, citros, sementes e derivados de uva e vinho transportados a granel não podem transitar dentro ou fora do Estado. A estimativa é de que R$ 26,82 milhões tenham deixado de circular no período, levando em conta valor médio de 2018 de notas fiscais para esse tipo de carga.

– Já tivemos greve no início do governo Sartori, mas a adesão e o impacto foram menores. Agora, a área vegetal está 100% parada. Isso afeta a geração de renda de todos que não podem comercializar seus produtos por falta da emissão dos documentos – explica Liese de Vargas Pereira, diretora da Afagro.

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora