CAMPO ABERTO – CAPILARIDADE NOS DANOS DA CHUVA

Os prejuízos absolutos e relativos deixados pela enchente que alagou lavouras do Estado no mês passado e o reflexo dessas perdas no PIB gaúcho são duas das informações levantadas pela assessoria econômica da Federação da Agricultura do Estado (Farsul) que serão apresentadas hoje.

Um dos diagnósticos feitos é de que, apesar de concentrado nas regiões da Fronteira e da Campanha, o impacto do excesso de chuva aparece em outros pontos do Estado. Há estragos em locais como Tupanciretã, que tem a maior área cultivada de soja do Rio Grande do Sul, por exemplo.

É claro que, em volume, o baque econômico será maior nas rotas principais dos alagamentos.

Os dados apurados serão encaminhados ao Ministério da Agricultura, conforme compromisso firmado em reunião realizada em Brasília no mês passado.

gisele.loeblein@zerohora.com.br gauchazh.com/giseleloeblein 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *