CAMPO ABERTO – Agricultura familiar cobra seu espaço

A preocupação em evitar atrasos no cronograma do programa Troca-Troca de Sementes, que subsidia milho para agricultores familiares do Estado, foi a principal – mas não a única – demanda apresentada por representantes do segmento em encontro com o governador Eduardo Leite. Foi a primeira no Piratini desde o início da atual gestão. O fortalecimento da estrutura voltada ao atendimento dos pequenos produtores, que tinham uma secretaria própria até o último governo, foi outro ponto abordado na reunião articulada pelo deputado Elton Weber.

Para Carlos Joel da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS), a questão referente ao troca-troca é urgente. Alegando falta de repasse dos recursos, empresas que fornecem as sementes estariam ameaçando não cumprir o calendário, que prevê início da distribuição na próxima segunda-feira.

– O programa já começou tarde. Depois, houve problemas no sistema operacional. O plantio tem uma época específica para ser feito. Se começar a atrasar, o produtor vai comprar em outro lugar – pondera Joel.

Da mesma forma, há temor em relação ao programa para sementes forrageiras, cujos contratos entre governo e sindicatos rurais ainda não foram feitos. E também em relação ao Mais Água, Mais Renda, implementado em 2013 para o fomento da irrigação no Estado. Havia previsão de pagamento da primeira e última parcela pelo governo – e essa fatura está começando a vencer.

Os problemas de caixa do Estado são conhecidos, mas o movimento em busca de respostas para as questões acima mostra que a agricultura familiar quer garantir seu espaço, evitando um injusto encolhimento frente às dificuldades da máquina pública.

Primeiro semestre fértil

O primeiro semestre deste ano foi fértil para o Tecon de Rio Grande. Somente no recebimento de fertilizantes, o terminal de contêineres alcançou 41,8 mil toneladas, aumento de 43% no período em comparação aos primeiros seis meses do ano passado. O resultado, segundo a empresa, está relacionado ao sucesso da operação de importação do produto via contêineres refrigerados, iniciada em 2018. Dentro dos contêineres desligados, os fertilizantes são transportados em big bags, que suportam até uma tonelada. Para o restante do ano, a projeção é de recebimento de 32,2 mil toneladas.

Foi assinado ontem o termo de início dos trabalhos de recuperação do prédio da sede da Emater, em Porto Alegre. O local foi atingido por um incêndio em junho do ano passado. A obra custará R$ 942,45 mil e será executada por Novatec Engenharia Ltda, com fiscalização da ALS Engenharia. A diretoria estima que os funcionários possam retomar as atividades no local até abril do ano que vem.

R$ 602,8 bilhões é o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) estimado para este ano. A quantia tem acréscimo real de 1,1 % em relação a 2018.

NO RADAR

A proposta de criação de um fundo para modernização do setor vitivinícola não evoluiu. A medida foi anunciada no início do mês e seria compensação para o setor, impactado pelo acordo Mercosul-União Europeia.

Na mesa do chefe

A Secretaria da Agricultura poderá publicar até o final da semana novas instruções normativas com regras para uso do 2,4-D. Para que isso ocorra, será necessário, segundo o titular da pasta, Covatti Filho, acertar detalhes referentes aos textos. O assunto foi tema de reunião realizada ontem com o governador Eduardo Leite (foto acima). Participaram do encontro representantes de entidades ligadas às culturas impactadas pela deriva do herbicida, além de parlamentares e prefeitos.

O promotor Alexandre Saltz, que conduz inquérito do Ministério Público do Estado sobre os problemas causados pelo produto, reforçou a necessidade de que saiam normas relacionadas à venda assistida e à criação de um cadastro das culturas sensíveis para que a proteção fique completa. No dia 5 deste mês, o Estado publicou duas instruções normativas que criam medidas para conter a deriva do 2,4-D.

– Será um reforço das medidas que ficaram faltando – diz Saltz.

Na reunião, a Associação dos Produtores de Vinhos da Campanha entregou documento solicitando suspensão temporária da venda até que se possa garantir a total implementação das novas exigências.

Santa Maria receberá reunião do 2,4-D

Enquanto são esperadas novas instruções normativas sobre o uso do 2,4-D no Estado, nova reunião técnica foi agendada para esclarecer pontos das regras já publicadas. Será no dia 7 de agosto, às 14h, no Anfiteatro A da Universidade Federal de Santa Maria, na Região Central.

Técnicos da Secretaria da Agricultura vão detalhar as novas exigências a profissionais da área de vendas.

A primeira reunião nesse modelo ocorreu no último dia 9, em Dom Pedrito, na Campanha.

gisele.loeblein@zerohora.com.br 3218-4709

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora

Compartilhe!