CAMPO ABERTO – ABAIXO O PROTECIONISMO

Um dos grandes players da produção mundial, o Brasil aproveitou para dar o seu recado na Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Ontem, em discurso no órgão, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, defendeu a democratização do acesso a alimentos para erradicar a fome no mundo, com o fortalecimento do comércio internacional e a diminuição do protecionismo dos países ricos.

– Para atingirmos esse objetivo, que já não é mais utópico, temos de nos comprometer com ao menos dois pilares: adotar políticas pró-desenvolvimento, com a necessária promoção de um comércio internacional livre e justo. E fomentar um ambiente que estimule a inovação, com a estrita aderência a princípios científicos – observou.

Ela também destacou o papel dos agricultores familiares na erradicação da fome. Citou que, no Brasil, há 5,1 milhões de propriedades familiares rurais, responsáveis pela maior parte dos alimentos consumidos no país:

– Esse modelo de sucesso é passível de ser replicado em outros países. Para tanto, é crucial considerar agricultura e segurança alimentar conjuntamente às questões de comércio agrícola.

GISELE LOEBLEIN

Fonte : Zero Hora