Camil Alimentos encerrou segundo trimestre no azul

A Camil Alimentos, uma das maiores beneficiadoras de alimentos da América Latina, registrou no segundo trimestre de seu ano-fiscal, encerrado em 31 de agosto, um lucro líquido de R$ 32,3 milhões, 3% maior que em igual período do exercício passado. A companhia, que tem entre seus principais sócios um fundo da Gávea Investimentos, teve receita líquida de R$ 1,024 bilhão no período, 14,4% superior em igual comparação. O custo das vendas subiu também 14,4%, para R$ 776,8 milhões, e o resultado bruto avançou 13,4%, para R$ 247,6 milhões.

Por conta da desvalorização do real no período, a Camil, que tem operações no Brasil e em outros países da América do Sul, reportou no trimestre ganho de R$ 77,0 milhões referente a diferenças cambiais decorrentes da conversão de operações estrangeiras. Com isso, o resultado abrangente para o período, líquido de impostos, foi de R$ 109,4 milhões, bem acima dos R$ 28,0 milhões de igual período de 2014.

A empresa seguiu no trimestre com a estratégia de manter elevados estoques. Em 31 de agosto, a Camil tinha R$ 920,2 milhões em produtos estocados, 122% mais que um ano antes. Na nota explicativa que acompanhou o balanço, a companhia informou que a estratégia decorre da compra antecipada de arroz de produtores de Chile e Uruguai e da formação de estoques de pescados no Brasil.

A dívida bancária de curto prazo cresceu 138%, a R$ 399 milhões, entre 28 de fevereiro e 31 de agosto deste ano. No intervalo, os empréstimos e financiamentos de longo prazo subiram 34%, para 586 milhões. A dívida com debêntures (vencimento no curto e longo prazos) estava em 31 de agosto em R$ 619 milhões, queda de 10% frente aos R$ 689 milhões de 28 de fevereiro.

Por Fabiana Batista | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *