Calor de 38 graus e tempo seco prejudicam produção de milho no Rio Grande do Sul

Tempo muda na região a partir desta sexta com a chegada de uma frente fria

Pryscilla Paiva

Charles Guerra

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Falta de chuva têm provocado o estresse hídrico nas lavouras

O calor excessivo e a falta de chuva têm provocado o estresse hídrico nas lavouras de miçlho do Rio Grande do Sul. As temperaturas estão em torno dos 38 graus no Estado e beiram os 40 graus na faixa oeste. Dezembro já foi um mês muito seco o que prejudicou principalmente as lavouras de milho. Além disso, existem certos tipos de sementes que não suportam tanto calor. No início de 2014, as chuvas voltaram até com forte intensidade em algumas cidades.

>> Leia mais notícias de tempo

Depois do dia 3 de janeiro o tempo secou novamente. É o que aconteceu em São Borja, por exemplo, que não recebe chuva significativa desde o dia 2 de janeiro. A média climatológica na cidade é de 133 milímetros e até agora só tivemos um volume de 63 milímetros concentrados apenas no primeiro e no segundo dia do ano. As culturas que não são irrigadas na Campanha gaúcha estão sofrendo bastante.

O alívio do tempo para estes produtores está a caminho. Na sexta, dia 24, uma frente fria vai avançar pelo Rio Grande do Sul com forte intensidade e provocar temporais com descargas elétricas. Depois da passagem desse sistema a temperatura vai cair muito por conta da entrada de uma massa de ar de origem polar. No sábado, 25, a mínima prevista em São Borja será de apenas 14 graus e a máxima não passa de 25 depois de uma semana inteira com temperaturas superiores aos 35 graus. Em Cruz Alta, a máxima prevista será ainda menor no fim de semana: 19 graus apenas.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *