Caixa se junta ao Pronaf para ofertar crédito a agricultura familiar

Volume de recursos do Pronaf disponíveis por este banco ainda está indefinido

Daniela Castro | Brasília (DF)

Reprodução

Foto: Reprodução / Canal Rural

Recursos serão liberados a partir de julho

A partir de julho, os empréstimos voltados para a agricultura familiar, também poderão ser acessados pela Caixa Econômica Federal, que vai se juntar às outras 19 instituições financeiras que já oferecem créditos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O volume de recursos disponíveis pelo banco através do Pronaf ainda está sendo definido.

>> Leia mais notícias sobre crédito rural

Há 18 anos, o Pronaf oferece créditos para os agricultores familiares, com juros que variam de 1% a 3,5% ao ano. Em 2014, a Caixa passará a ser o vigésimo agente bancário a ofertar créditos voltados para os pequenos produtores.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) acredita que a entrada da intuição irá facilitar o acesso ao crédito pelos agricultores familiares, já que além das agências bancárias há outras opções como as casas lotéricas.

– A Caixa, certamente, irá utilizar esses meios que têm para facilitar a interlocução entre o agricultor e agência da Caixa. A nossa aposta é que crescerá o número de agricultores que terão acesso de forma mais facilitada ao crédito para execução de sua de seu trabalho, de sua lavoura para continuar tendo condições de produzir com tranquilidade em sua propriedade rural – salienta o secretário de política da Contag, David Rodrigues.

O diretor de Financiamento de Proteção à Produção do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), João Luz Guadagnin, diz que essa também é a visão do Ministério.

– A Caixa Econômica Federal deve ser um novo companheiro da agricultura familiar. Ela começará a fazer operações no Pronaf. Isso vai facilitar o acesso a crédito para um grupo pequeno, mas importante ainda de agricultores que não têm crédito – ressalta.

Como a inadimplência entre os agricultores é baixa, o professor da Universidade de Brasília, Luiz Vicente Gentil, não vê dificuldades para a adesão de mais agentes financeiros.

– Todo agente financeiro não tem muitas emoções. O agente financeiro só entrega dinheiro quando tem capacidade de pagamento de quem o toma. Só dá dinheiro para quem tem condição de pagar para quem tem zero dívida – esclarece.

Segundo dados do Banco Central, em 2012 foram acessados R$ 7,400 bilhões na modalidade custeio e R$ 8,900 bilhões em investimentos do Pronaf. De acordo com a Contag 1,600 milhões agricultores são beneficiados e para 2014, a ideia é antecipar o Plano Safra da Agricultura Familiar, que historicamente tem sido lançado no mês de junho.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *