BRUMADINHO – Bombeiros tentam resgatar corpos em ônibus encontrado na lama; total de mortos sobe para 58

Números devem mudar ao longo do dia conforme os trabalhos de resgate prosseguem

Sobrevoo da área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho

Sobrevoo da área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho

FOTO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA/DIVULGAÇÃO

Equipes de resgate retomaram os trabalhos de busca na madrugada desta segunda-feira focadas em retirar corpos que estariam dentro de um ônibus encontrado no mar de lama provocado pelo rompimento de uma barragem de mineração da Vale em Brumadinho (MG), o que deve aumentar o número de 58 mortes confirmadas até o momento.

Os bombeiros precisaram encerrar as buscas na noite de domingo devido à falta de iluminação e retomaram os trabalhos às 4h da manhã desta segunda-feira, de acordo com o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara.

Segundo a mais recente atualização de números de vítimas, divulgada na noite de domingo, o rompimento da barragem deixou 58 mortos e 305 desaparecidos, e outras 192 pessoas foram resgatadas. Os números devem mudar ao longo do dia conforme os trabalhos de resgate prosseguem.

Nesta segunda-feira, uma equipe enviada por Israel que desembarcou na noite de domingo em Belo Horizonte ajudará as equipes de resgate de Minas Gerais na operação de busca pelas vítimas.

O tenente Aihara também informou, em entrevista à Globonews, que os bombeiros localizaram no domingo o local onde ficava uma pousada em Brumadinho que estaria com 35 pessoas no momento da tragédia, mas que não há mais nada no local. Segundo ele, a força da lama provavelmente deslocou a estrutura para outro lugar.

O rompimento da barragem em Brumadinho, ocorrido na sexta-feira por volta do horário do almoço, provocou uma enorme avalanche de lama de rejeitos que atingiu comunidades e área administrativa da própria Vale.

Esse é o segundo desastre do tipo evolvendo a Vale em pouco mais de três anos. O número de mortos já supera as 19 vítimas fatais do rompimento em 2015 de uma barragem em Mariana, também em Minas Gerais, da Samarco, uma joint venture da Vale com a BHP.

No domingo, um alerta no início da manhã para um possível rompimento de uma outra barragem da Vale na região provocou pânico e levou à suspensão das buscas por diversas horas. Os trabalhos só foram retomados depois que o alerta foi suspenso pelas autoridades.

REUTERS •

Fonte : DCI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.