BRF é primeira de 5 a assinar TAC do leite

Quatro dias após a divulgação de que lotes de leite da marca Batavo produzidos em Teutônia estavam contaminados com formol, a Brasil Foods (BRF) assinou ontem termo de ajuste de conduta (TAC) junto ao Ministério Público do RS. A agilidade contrasta com a demora das outras quatro empresas (Líder, Latvida, Mu-Mu e Italac) envolvidas na Operação Leite Compen$ado, deflagrada em 8 de maio. A Latvida chegou a fechar acordo com o MP, mas não assinou o documento, que tem prazo até o final do mês. Os responsáveis pelas marcas Líder (LBR) e Italac reuniram-se com o MP mas também não formalizaram acerto. A Mu-Mu já teve encontro, mas solicitou nova audiência para 8 de julho. ‘A Batavo se mobilizou rapidamente para resolver a situação’, elogia o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital, Alcindo Bastos Filho.

Pelo termo assinado ontem, a Batavo comprometeu-se a manter cadastro de transportadores e postos de resfriamento, comunicar ao Ministério da Agricultura qualquer inclusão ou exclusão, informar sobre todo leite cru rejeitado na plataforma, assim como a natureza da inconformidade, o responsável pela origem do produto e o destino dado à carga. A empresa também admitiu fazer a aferição dos equipamentos laboratoriais e a ressarcir os valores de quem comprou o leite. A Batavo ainda vai pagar uma indenização de R$ 1,8 milhão para ações públicas.

A Mu-Mu informa que tem plano próprio de ação e que cláusulas do TAC sobre garantia de qualidade merecem discussão. A Líder alega que analisa o documento sugerido e está dentro do prazo de 20 dias para se posicionar. A Latvida não foi localizada, e Italac não se manifestou.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *