BRF pode reduzir abates em 14%

Ivonaldo Alexandre/Valor

Abatedouro da BRF em Carambeí (PR) será paralisado a partir de 21 de maio

Em uma reação à crise decorrente da Operação Trapaça, que levou à suspensão das exportações de três de seus abatedouros e interrompeu os embarques de todos os seus frigoríficos para a União Europeia, a BRF anunciou ontem que vai paralisar parcialmente os abates de frango em Rio Verde (GO) e Carambeí (PR).

Com isso, o número de plantas da empresa que terão os abates paralisados – integral ou parcialmente – a partir de maio chegará a três, o que pode provocar uma redução de mais de 10% nos abates da BRF. Na última semana, a companhia já havia anunciado que os 3,2 mil funcionários da área de abate da unidade de Capinzal (SC) entrarão em férias coletivas de 30 dias em 7 de maio.

Nas unidades de Rio Verde e Carambeí, as férias coletivas terão início em 14 e 21 de maio, respectivamente, de acordo com a BRF. Ao todo, 1,2 mil funcionários da planta paranaense entrarão em férias coletivas por um mês. No caso de Rio Verde, cerca de 2,3 mil funcionários serão afetados, mas não imediatamente – a parada será em etapas.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Indústria de Carne e Derivados de Rio Verde, Edson Contessoto, as férias coletivas na planta terão três fases. Em 14 de maio, cerca de 750 funcionários pararão. Assim que se encerrarem os primeiros 30 dias, outros 750 trabalhadores entrarão em férias. A terceira e última fase de paralisação entrará em vigor em julho, disse.

Atualmente, o frigorífico de Rio Verde abate cerca de 450 mil frangos por dia, segundo Contessoto. Em Carambeí, os abates giram em torno de 350 mil aves, segundo o fiscal agropecuário Antonio Carlos Ferreira. Na catarinense Capinzal, os abates são da ordem de 475 mil, conforme o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Carnes e Derivados da região (Sindicadezal), Luciano Soccol. Procurada, a BRF não informou quanto abate nos três frigoríficos.

A partir dos números obtidos pelo Valor, no entanto, é possível ter a dimensão das paralisações anunciadas pela BRF. Considerando que um terço dos abates deixarão de ser realizados em Rio Verde e que os abates em Carambeí e Capinzal serão paralisados, 975 mil frangos deixarão de ser abatidos, o que representa 13,9% dos 7 milhões de frangos abatidos por dia pela BRF.

A BRF também deve ter novidades hoje em sua crise societária. A expectativa é que Abilio Diniz renuncie à presidência do conselho de administração, como parte do acordo firmado com as fundações Petros e Previ.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *