BRF oferta sete imóveis em leilão na região Sul

JOÃO MATTOS/JC
Maior lance inicial é de terreno de quase 100 mil m2, localizado na avenida Cavalhada

Maior lance inicial é de terreno de quase 100 mil m2, localizado na avenida Cavalhada

Sete áreas e edificações da BRF (antiga Brasil Foods) na região Sul – quatro no Estado, uma em Santa Catarina e duas no Paraná – serão leiloadas na próxima sexta-feira. O pregão ocorre a partir das 14h no Centro de Convenções do Hotel Deville, em Porto Alegre, e também terá participantes online.

De acordo com estimativa da organização, a arrecadação total deve ficar entre R$ 35 milhões e R$ 40 milhões, embora a soma dos lances iniciais já chegue a R$ 34 milhões. Se confirmadas as cifras, este será um dos maiores leilões empresariais em volume de negócios realizados na região.

O imóvel de maior lance inicial (R$ 15,5 milhões) é um terreno de quase 100 mil m2 situado na avenida Cavalhada, onde funcionava a antiga Avipal, na zona Sul da Capital. O de menor lance é uma fração de lote rural de 18 mil m2 em Campina das Missões, também no Rio Grande do Sul, estipulado em R$ 130 mil. Imóveis arrematados por R$ 5 milhões ou mais podem ser parcelados em até 48 meses, com 20% de entrada no ato. Abaixo desse valor, é necessário dar entrada de 50%, com saldo em 24 meses.

A BRF é o resultado da associação entre as empresas Sadia e Perdigão. “Com a fusão, por uma questão de centralização da gestão, a empresa não tem mais a necessidade de manter esses imóveis em funcionamento”, explica o diretor comercial e de marketing da Pestana Leilões, responsável pelo pregão, Renan Dall’Astra. Segundo ele, a maioria dos participantes serão empresas, no entanto, é comum a presença de pessoas físicas interessadas em realizar investimentos particulares.

Tida como a menina dos olhos do pregão, o terreno localizado na avenida Cavalhada tem sido cobiçado, principalmente, por construtoras. Assim, caso seja arrematado, o local deve abrigar uma área residencial ou comercial. 

A prática de comprar bens móveis e imóveis em leilões vem crescendo entre os brasileiros. “As pessoas estão conhecendo mais e tendo mais informações sobre os leilões. Estão vendo que é uma forma segura, com processo transparente”, avalia Renan Dall’Astra.

No primeiro trimestre deste ano, a Pestana Leilões registrou um acréscimo de 25% no volume de negócios efetivados em relação ao mesmo período do ano passado. A marca é responsável por 80% dos empreendimentos leiloados nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Quanto aos automóveis, foram comercializadas 2.500 unidades até o momento.

Fonte: Jornal do Comércio | Rodrigo Borba

Compartilhe!