BRF amplia unidade em Goiás e fortalece produção de queijo

Depois de adquirir uma unidade de lácteos em Mato Grosso do Sul no fim do ano passado, a BRF – Brasil Foods deu mais um passo em sua estratégia de expansão no mercado de queijos, que prevê mais do que dobrar a capacidade de produção da companhia. Desde segunda-feira, a empresa também produz queijos na unidade localizada em Itumbiara, em Goiás.

Até então voltada à produção de leite UHT, leite em pó e compostos lácteos, a unidade goiana recebeu aportes da ordem de R$ 30 milhões para incluir a produção de queijos das marcas Santa Rosa/Elegê e Sadia em suas atividades.

"Começamos a produzir em caráter experimental. Em três semanas, produziremos em escala comercial", afirmou o vice-presidente de lácteos da BRF, Fábio Medeiros. Em plena atividade, a fábrica poderá produzir 1 mil toneladas de queijo por mês, elevando o potencial total da empresa para 4 mil toneladas. A ampliação também elevou a capacidade de processamento de leite da unidade, que passou de 14 milhões de litros para 20 milhões de litros.

Com a fábrica de Itumbiara, que terá sua produção voltada para as regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, a BRF passou a contar com seis unidades para a produção de queijos, distribuídas nos municípios de Ijuí e Três de Maio, no Rio Grande do Sul, Terenos (MS), Ravena (MG) e em Carlos Casares, na Argentina.

E o investimento em Goiás é apenas uma parte dos planos da BRF. A empresa pretende ampliar sua liderança no pulverizado mercado de queijos, que movimenta anualmente R$ 7 bilhões, com uma produção total estimada em 700 mil toneladas. "A BRF está investindo nesse mercado porque existe uma oportunidade. Hoje, já temos um volume que deve nos conferir a liderança, mas queremos elevar nossa participação", diz Medeiros.

Em novembro, a BRF realizou seu principal investimento no setor. Por R$ 122,5 milhões, adquiriu a sul-mato-grossense Heloísa Indústria e Comércio de Produtos Lácteos, localizada no município de Terenos. Com a aquisição, a BRF dobrou sua produção de queijos, até então em 1,2 mil toneladas mensais, e triplicou a de mussarela, que representa 50% do portfólio da empresa.

A ampliação da capacidade da BRF no segmento de queijos está ligada à ampliação do foco da marca Elegê, bastante forte na região Sul, para todo o país. O principal estímulo, contudo, é a entrada da Sadia nos mercados de queijos mussarela e prato. "O queijo Sadia é um produto premium", afirma Medeiros.

Com o lançamento, o executivo aposta numa mudança de hábito no consumo do brasileiro. "Hoje, o consumidor pede queijo mussarela, mas ele pode começar a pedir pela marca", explica. Para exemplificar a estratégia, Medeiros cita produtos como os embutidos, adquiridos pela marca. "O queijo é o grande companheiro para esse presunto. Vamos vender o ‘misto quente’ da Sadia", diz ele.

Em fevereiro, a companhia estreou uma campanha na televisão para divulgar o novo produto. Assinada pela agência de publicidade DPZ, a propaganda tem como mote o ‘casamento’ entre os dois produtos da marca.

Fonte:  Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.