Brasileiros compram 2º banco na Flórida

Fonte:  Valor Online | Vanessa Adachi | De São Paulo

Brian Blanco/AP Images/Valor

Trevor Burgess, sócio da Artesia que toca o negócio nos EUA: "Olhamos outros bancos que façam sentido para nós"

Menos de um ano e meio depois de terem comprado um pequeno banco no estado americano da Flórida, um grupo de investidores liderados por brasileiros está prestes a selar sua segunda aquisição – e sinaliza que as pretensões vão além.

Os sócios da Artesia Gestão de Recursos, dona da fabricante de freezers horizontais Metalfrio e da varejista de moda feminina Le Lis Blanc, devem receber na semana que vem a autorização final das autoridades americanas para a compra do First Community Bank of America. A instituição será fundida com o Community Bank & Company, adquirido em dezembro de 2009, criando um novo banco com ativos totais de US$ 700 milhões, depósitos de US$ 552 milhões (dados pro-forma em dezembro de 2010) e 17 agências na região da baía de Tampa.

Entre a compra e a capitalização das duas instituições, que figuravam na lista de pequenos bancos dos Estados Unidos ameaçados de falência no pós-crise de 2008, o investimento dos novos sócios chegará a quase US$ 50 milhões. Há apenas três semanas, o Banco do Brasil, maior banco do país, anunciou investimento de US$ 6 milhões para a compra do EuroBank, também na Flórida, com três agências e ativos de US$ 102 milhões.

"Somos um dos casos mais bem-sucedidos de ‘turn around’ de um banco na Flórida e, na área da baía de Tampa, estaremos entre os quatro maiores bancos", diz Marcelo Lima, que, ao lado de Márcio Camargo, Erwin Russel e Trevor Burgess são os acionistas da CBM Florida Holding Company, empresa que comprou o Community Bank of Manatee em 2009 e agora se prepara para assumir seu segundo banco. Depois da fusão, a marca usada será Community Bank.

Na aquisição das ações do First Community Bank of America serão gastos US$ 10 milhões -boa parte será usada pelos atuais acionistas para repagar o Tarp, programa do governo americano para compra de ativos tóxicos criado em outubro de 2008. Além disso, os novos controladores farão injeção de outros US$ 20 milhões para capitalizar o banco após a compra. "Estamos fazendo um ajuste imenso nos ativos do banco, reduzindo seu patrimônio de US$ 29 milhões para US$ 10 milhões. Então, o investimento é para recompor o capital", explica Lima. Após a capitalização, o índice de capital de nível 1 deve ficar em 10,9%, enquanto o índice de Basileia amplo deve ficar em 12%.

"Estamos olhando para outros bancos. Não temos um número de bancos ou agências em mente, mas analisamos o que faz sentido para nós e para os reguladores", diz Trevor Burgess, principal executivo da holding CBM e que se mudou para a Flórida para cuidar da nova frente de negócios dos sócios da Artesia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *