Brasil investe US$ 20 milhões para estimular cadeia de algodão em países em desenvolvimento

Projeto terá duração de quatro anos e inicialmente irá atender países que integram o Mercosul e o Haiti

por Luciana Franco

 Shutterstock

Proposta do projeto é promover assistência técnica em países em desenvolvimento

O Diretor Geral da FAO, José Graziano da Silva, e Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, assinaram nesta quarta (17/10) um acordo de colaboração que visa estimular o desenvolvimento da cadeia do algodãoem países em desenvolvimento e cujas economias dependem em grande parte da cultura. O Brasil tem umavasta experiência no desenvolvimento de tecnologias para a cadeia produtiva do algodão e vai repassar seu conhecimento para países que queiram investir no plantio da fibra.
O projeto terá duração de quatro anos e um orçamento US$ 20,2 milhões, dos quais o Instituto Brasileiro de Algodão (IBA) fornecerá US$ 10 milhões e a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exterioresfornecerá outros US$ 10 milhões. O Escritório Regional para América Latina e Caribe da FAO contribuirá com US$ 200 mil.
Inicialmente, o objetivo do projeto é atender países que integram o Mercosul e o Haiti, com possibilidade de ampliaçãopara o restante da América Latina e do Caribe, assim como a África Subsaariana.
A proposta é promover assistência técnica em países em desenvolvimento. A ideia é identificar experiências e tecnologias, por meio de especialistas e treinamento de pessoal específico para atividades no setor, de tal forma que sejam estimulados os resultados e práticas na área.
“O acordo é uma excelente oportunidade para demonstrar a eficácia da cooperação Sul-Sul", disse Graziano da Silva na cerimônia de assinatura do acordo na sede da FAO em Roma.
O algodão é um dos produtos agrícolas mais importantes no mundo. Gera emprego e renda e contribuindo para asegurança alimentar e para o acesso aos cuidados de saúde, habitação e outros por milhões de agricultores familiares, especialmente nos países em desenvolvimento. Directa e indirectamente afectam uma percentagem significativa da população, o setor ocupa uma posição estratégica na política de desenvolvimento e programas de redução da pobreza em vários países da África, Ásia e América Latina.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *