Brasil falha nas exportações de processados

Produtos processados representam a maior fatia do comércio agrícola global e o Brasil não se destaca nesse cenário, conforme estatísticas da Organização Mundial do Comércio (OMC). Segundo a entidade, os Produtos Agrícolas Processados (PAP), como chocolate e café industrializado, respondem por 44% das exportações agrícolas mundiais. As vendas externas desse segmento cresceram 2,4% entre 2008 e 2016, mas no caso dos embarques do Brasil houve queda de 1,2% no período.

O comércio de PAPs é concentrado nas mãos de poucos exportadores, como União Europeia e EUA. Em 2016, países desenvolvidos representaram quase 80% dos embarques desses produtos. Alemanha e Suíça, que não plantam nem um pé de café, estão entre os maiores exportadores mundiais do café solúvel. Em boa medida, o Brasil não consegue ter o mesmo peso nessas áreas por causa da escalada tarifária. Quando um produto tem valor agregado, paga tarifas mais elevadas de importação em diversos mercados desenvolvidos.

Produtos semiprocessados como farelo de soja e óleos vegetais representaram 27% das exportações mundiais em 2016, conforme a OMC. Houve um aumento global de 1,6% entre 2008 e 2016 nessa frente, e as exportações brasileiras aumentaram mais – 3,4%. Já produtos primários a granel como café verde e trigo representaram 16% das exportações agrícolas no intervalo. Globalmente, esse segmento cresceu 1,3%, e as exportações brasileiras subiram 5,6%.

Por Assis Moreira | De Genebra

Fonte : Valor