BRASIL À ESPERA DO RELATÓRIO DA RÚSSIA

O bloqueio russo que impede a retomada das exportações brasileiras de carne suína completa 16 meses. Passados os 30 dias previstos para o envio do relatório da missão que esteve no Brasil, o Ministério da Agricultura ainda aguarda o documento, demora que já ocorreu em oportunidades anteriores. Ao final da inspeção, em agosto, técnicos enfatizaram a necessidade de controle que garantisse a produção livre de ractopamina, um promotor do crescimento de suínos vivos. Mas, conforme o ministério, pelo protocolo, o Serviço Veterinário Federal da Rússia deve enviar o documento oficial sobre o parecer. Só após, o Brasil pode tomar providências. Os russos percorreram seis estados, entre eles o RS, para avaliar o serviço veterinário, além de frigoríficos embargados desde junho de 2011. As empresas têm pressa. Segundo o diretor executivo do Sips, Rogério Kerber, quanto antes houver retorno, melhor. ‘No momento, só resta esperar.’

Apesar do embargo, conforme a Abipecs, os quatro frigoríficos habilitados em Goiás, Minas Gerais e Santa Catarina retomaram bem a venda para a Rússia, que liderou em agosto, respondendo por 26,03% dos embarques do Brasil em volume (14.241 t). Embora longe de 2010, último ano cheio antes do bloqueio, quando os russos importaram 233 mil t ou 43% do total, a retomada é bem-vinda. Para Kerber, comprovação de que, mesmo perante as restrições, se mantém o interesse. De janeiro a agosto, a Rússia foi o terceiro destino da carne suína brasileira, com 81.826 t, atrás da Ucrânia e Hong Kong. Em receita, o país liderou: 235.9, milhões de dólares. No mesmo período, as exportações brasileiras cresceram 5,42% em relação aos oito primeiros meses de 2011, totalizando 367.743 toneladas. Já a receita caiu 2,2% para 930 milhões de dólares.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *