Biosev amplia cogeração de energia em MS

A empresa sucroalcooleira Biosev, controlada pela francesa Louis Dreyfus Commodities e com ações negociadas na BM&FBovespa, inaugurou ontem a unidade de cogeração de energia da usina Passa Tempo, em Rio Brilhante (MS), fruto de um investimento de R$ 163 milhões.

A unidade, que vai gerar eletricidade por meio do bagaço, terá capacidade para suprir toda a energia necessária para mover a usina e deixará um excedente de até 50 megawatts (MW), suficiente para abastecer uma cidade de até 300 mil habitantes. De acordo com Christophe Akli, CEO da Biosev, o excedente de energia produzido pela Passa Tempo já foi comercializado no leilão A-3, promovido em 2011 pelo Ministério de Minas e Energia, por R$ 102 por megawatts-hora (MWh), com entrega entre 2014 e 2023. "Neste ano, estamos comercializando energia no mercado spot", disse o executivo.

A construção da unidade levou 20 meses e contou com financiamento do Banco do Brasil, que forneceu 70% dos recursos totais por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). "Em um intervalo de seis anos, Mato Grosso do Sul passou de importador a exportador de energia. Hoje, o excedente de energia produzido por unidades de cogeração, de 700 MW, seria suficiente para abastecer todas as residências do Estado", afirmou Teresa Cristina Dias, secretária de Desenvolvimento do Estado.

A nova termelétrica da Biosev é composta por três turbinas geradoras, uma de 17,8 MW e duas de 30 MW, com tecnologia totalmente nacional. A caldeira, fornecida pela Sermatec Zanini (uma das principais produtoras de equipamentos para usinas sucroalcooleiras do país), conta como uma tecnologia que permite a queima do combustível em suspensão. "Antigamente, queimava-se o bagaço limpo. Hoje, com a colheita mecanizada, o material vem muito misturado, com palha, por exemplo, e essa tecnologia permite que a grelha fique sempre limpa", afirmou Antonio Carlos Christiano, CEO da Sermatec.

A unidade possui ainda um sistema de transmissão com 76 quilômetros, ligado à subestação Sidrolândia, da Brilhante Transmissora de Energia, que receberá a energia exportada. Agora, com todas as nove unidades de cogeração que a Biosev possui, o potencial de exportação de energia elétrica da companhia é de 1.100 gigawatts-hora (GWh) ao ano.

A usina Passa Tempo pertencia ao Grupo Tavares de Melo até 2007, quando foi adquirida pelo Grupo Louis Dreyfus Commodities. A Biosev, entretanto, atua em Mato Grosso do Sul desde 2006, ano em que iniciou os primeiros plantios de cana-de-açúcar. Atualmente, a empresa possui três unidades no Estado: Maracaju, instalada no município de mesmo nome, e as usinas Rio Brilhante e Passa Tempo, ambas na cidade de Rio Brilhante. Juntas, as três unidades têm capacidade de esmagamento de 10 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano. No total, a companhia tem 12 usinas e prevê moagem de 33 milhões de toneladas de cana na safra 2013/14, quase 12% mais que em 2012/13.

A jornalista viajou a convite da Biosev

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3167962/biosev-amplia-cogeracao-de-energia-em-ms#ixzz2WlAhlVD4

Fonte: Valor | Por Mariana Caetano | De Rio Brilhante (MS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *