BB já liberou R$ 1,4 bi para o pré-custeio da próxima safra

Dias, vice-presidente de agronegócios do Banco do Brasil: demanda aquecida
Em menos de dois meses, o Banco do Brasil já contabilizou desembolsos de R$ 1,4 bilhão para o pré-custeio da próxima safra (2016/17), que "oficialmente" terá início no dia 1º de julho. Esses recursos começaram a ser ofertados pelo banco no início de fevereiro. No total, a instituição conta com R$ 10 bilhões para essa finalidade.

Há duas semanas, o vice-presidente de agronegócios do banco, Osmar Dias, já havia adiantado ao Valor que os desembolsos estavam em ritmo acelerado. Em comunicado divulgado ontem, o Banco do Brasil informou que já está analisando outros R$ 1,7 bilhão em propostas de produtores que buscam financiamentos. Nas próximas semanas, portanto, as liberações poderão superar R$ 3 bilhões. No ano passado, a falta de recursos para o pré-custeio da safra 2015/16 foi uma das principais reclamações dos produtores com o governo.

Do montante total liberado desde 1º de fevereiro, R$ 243,1 milhões foram destinados a agricultores de porte médio e outros R$ 1,117 bilhão para o demais produtores, conforme o banco.

De acordo com os dados da instituição, os produtores de soja abocanharam 84,5% dos recursos de pré-custeio liberados até agora. Goiás foi o Estado que registrou o maior volume de recursos tomados junto ao banco: 21,3%, seguido por Mato Grosso, com 20,6%, e Paraná, com 17,1%.

O Banco do Brasil também informou que o total já desembolsado (R$ 1,4 bilhão) representa um crescimento de 33,4% em relação ao montante liberado entre fevereiro e março de 2014 para o pré-custeio da safra 2014/15. (R$ 1,062 bilhão). No ano passado, o valor foi muito pequeno.

Com crédito para o pré-custeio, os agricultores antecipam as compras de insumos como sementes, fertilizantes e defensivos. Recente sondagem realizada por Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostrou que as compras de adubos e agrotóxicos são concentradas no período entre março e junho.

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor

Compartilhe!