Banco Central autoriza renegociação de dívidas de produtores gaúchos

Publicada na quinta-feira passada, a Resolução Nº. 4.802, do Banco Central, autoriza a renegociação da dívida dos produtores rurais gaúchos que tiveram perdas com a seca que atinge o Rio Grande do Sul desde o final do ano passado.Terão direito todos os produtores de municípios com situação de emergência reconhecida pelo governo estadual. A estimativa é que sejam beneficiados cerca de 200 mil produtores rurais, envolvendo um volume de R$ 5 bilhões em transações, de acordo com a Federação da Agricultura do Estado (Farsul).

Conforme a resolução, as díviou vincendas entre 1 de março a 31 de dezembro de 2020 terão até sete anos de parcelamento. Os investimentos com parcelas vencidas ou vincendas entre 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2020 terão a prestação transferida para após a última.

Também será liberado custeio para a agricultura familiar no valor de R$ 20 mil, com juros de 4,6% ao ano e prazo de 36 meses para pagamento, com carência de 12 meses. Os médios produtores atendidos pelo Pronamp terão R$ 40 mil de crédito, juros de 6% ao ano e as mesmas condições de prazo.

Para as cooperativas integrantes do Procap-Agro poderem renegociar as dívidas com seus associados, serão disponibilizados até R$ 65 milhões para cada uma, com limite de R$ 40 mil por produtor.

A expectativa da Farsul é que sejam anunciadas, neste semana, outras ações solicitadas.

De acordo com o secretário da Agricultura, Covatti Filho, mais da metade dos municípios gaúchos já decretou situação de emergência por problemas causados pela estiagem.

As perdas nas lavouras já chegam a 45% em algumas culturas, como a da soja. Em relação ao milho, a produção deve ser 30% menor, mesmo percentual da safra da maçã. A alta do dólar e a pandemia do coronavírus deixam a situação ainda mais alarmante

Fonte: Jornal do Comércio