Banca de PE compra escritórios paulistas

A Urbano Vitalino Advogados, uma das maiores firmas de advocacia do Pernambuco, adquiriu os escritórios Palma e Alonso e Koerner Neto Advogados, ambos de São Paulo, por cerca de R$ 16 milhões. A transação, que envolveu troca de cotas societárias e dinheiro, vai permitir à firma pernambucana ampliar sua atuação nas áreas tributária, societária, contratual e ambiental, em âmbito nacional.

Com quase 80 anos no mercado e mais de 450 colaboradores (200 advogados), a Urbano Vitalino atende no Nordeste clientes como os bancos Bradesco, Pan e BMG, a construtora Odebrecht, as varejistas Carrefour, Máquina de Vendas (Ricardo Eletro e Insinuante) e Riachuelo, além do Complexo Portuário de Suape e o Estaleiro Atlântico Sul. São quase mil clientes servidos nas áreas de direito empresarial e advocacia contenciosa – de disputas judiciais, negociação e solução de conflitos.

Com a aquisição dos dois escritórios em São Paulo, a Urbano Vitalino ganha mais 30 colaboradores, dos quais 25 advogados, e oitenta novos clientes. Entre os maiores, estão a fabricante de bebidas Cereser e o grupo JBS. "No caso do grupo JBS, vamos atuar nas áreas cível e trabalhista, principalmente", conta Urbano Vitalino Neto, neto de um dos fundadores da empresa, diretor-presidente do escritório.

A banca cresceu 36% no ano passado em faturamento, segundo Vitalino e, antes de concretizadas as aquisições, a previsão era repetir o mesmo desempenho neste ano. "Agora, com as aquisições, achamos que vamos crescer, no mínimo, 45% este ano", afirma Vitalino.

A Urbano Vitalino Advogados tem hoje sete escritórios no Brasil (Pernambuco, Paraíba, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo) e um fora do país, em Angola. A firma vem associando-se a concorrentes locais para crescer nos últimos anos. O caminho para fora do Nordeste, segundo Vitalino, foi uma decisão impulsionada pela crise econômica. "Achamos que a melhor maneira de driblar o difícil ambiente econômico seria explorando novos mercados", diz Vitalino.

Antes das aquisições, a empresa já tinha escritórios em São Paulo, há três anos, e no Rio, há um. Em um prazo de cinco anos, estima o diretor-presidente, a Urbano Vitalino deve se tornar maior em São Paulo do que é hoje no Nordeste. O crescimento deve ser puxado pelas áreas trabalhista, cível e de relações de consumo. "Em São Paulo, a área societária deve crescer bastante também", afirma Vitalino.

Por Marina Falcão | De Recife

Fonte : Valor

Compartilhe!