Avicultura sinaliza alta na carne de frango

Apesar de redução na cotação das commodities, indústria reclama de custos

O impacto do custo da soja e do milho na criação de aves, aliado ao aumento de 5,1% nas exportações de cortes em agosto, deve pressionar o preço da carne de frango no mercado interno. A tendência é projetada pela Asgav e indica oscilação entre 5% e 10% nas gôndolas dos supermercados, onde o produto custa, em média, R$ 5,39 o quilo. Com o reajuste, o valor deve voltar aos patamares registrados no primeiro semestre (R$ 5,90/kg). O cenário resulta de uma projeção tímida de aumento de produção entre 1% a 2% no mercado de aves gaúcho em 2013 em comparação com os 1,52 milhão de toneladas de 2012. O índice tem pouca expressão frente à expansão do consumo anual de 3% a 3,5% e não retoma patamares pré-2012, ano marcado por uma crise histórica em que os grãos catapultaram o preço da ração. No país, o diretor de Mercados da Ubabef, Ricardo Santin, estima que, apesar da manutenção da produção na faixa de 12,64 milhões de toneladas, o abate também não acompanhará o consumo nacional.

O aumento dos custos de produção é problema, principalmente, nos estados da Região Sul, onde o milho chega a R$ 23,23 e a soja subiu 6% nos últimos 30 dias (R$ 66,06 saca). ‘A tendência é a produção encolher, pois quanto maior o custo, maior a necessidade de capital para produzir’, avalia o presidente da Asgav, Nestor Freiberger. O milho e a soja representam 55% do custo do frango. ‘A esperança é que haja estabilidade nos grãos. Se não acontecer, vamos ter que repassar custos.’ Em contraponto, o assessor de política agrícola da Fetag, Airton Hochscheid, garante que a crise já foi maior. ‘Em 2012, o custo foi bem mais complicado’, disse, lembrando de época em que as sacas do milho e da soja chegaram a R$ 29,00 e R$ 75,00, respectivamente.

Com aumento da receita em função da alta do dólar, as exportações ganham força e agravam a pressão sobre os preços internos. Dados divulgados ontem pela Ubabef indicam que, em agosto, a avicultura brasileira exportou 350,6 mil toneladas, o que rendeu 690 milhões de dólares.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *