Avança a venda de ativos da BRF

A BRF anunciou ontem a venda da Campo Austral, empresa argentina de carne suína, por US$ 35,5 milhões. Com isso, a companhia concluiu os desinvestimentos previstos para o país vizinho. Mas, além deles, a empresa ainda deve se desfazer das operações na Tailândia e Europa.

A venda da Campo Austral foi realizada em duas partes. A fábrica localizada em Florencio Varela e as marcas Bocatti e Calchaquí foram vendidas à argentina BOGS S.A. Já as fábricas de San Andrés de Giles e Pilar e a marca Campo Austral foram vendidas para a La Piamontesa. Juntas, as unidades da Campo Austral possuem capacidade para abater 2,3 mil suínos por dia e processar 2,1 mil toneladas por mês.

Ao todo, o programa de desinvestimentos da BRF prevê angariar R$ 3 bilhões com a venda de ativos operacionais. Os recursos serão utilizados para pagar dívidas.

Até agora, a companhia assegurou cerca de R$ 560 milhões. Além da Campo Austral, a empresa vendeu a também argentina Quickfood, que produz carne bovina, para a brasileira Marfrig Global Foods, por cerca de US$ 55 milhões. A venda da empresa de hambúrguer foi concluída na semana passada.

Ainda na Argentina, a BRF vendeu, em dezembro, a Avex, por US$ 50 milhões, à Granja Tres Arroyos e Fribel. A venda da processadora de frango ainda não foi concluída. A expectativa é que essa transação seja finalizada – e os recursos entrem no caixa – até o fim de março.

Também ainda não foi concluída a venda da fábrica de hambúrguer que a BRF possui em Várzea Grande (MT). A Marfrig pagará R$ 100 milhões por essa unidade.

Por fim, resta a alienação dos ativos na Tailândia e Europa, que deve ser feita conjuntamente. Para atingir a meta de R$ 3 bilhões, a BRF ainda precisa de R$ 2,5 bilhões.

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo