Aumento dos casos de gripe aviária pelo mundo acende sinal de alerta

Bob Edme/AP

Profissionais sacrificam aves na França; país registrou casos de gripe aviária

Os casos de gripe aviária não param de crescer na Europa. Apenas na semana passada, Itália, Espanha, Eslovênia, Eslováquia e Ucrânia relataram novos focos à Organização Mundial e Saúde Animal (OIE).

A rápida propagação da doença já levou ao sacrifício de milhares de aves em países de peso para a avicultura mundial como a França, que lidera a produção de carne de frango na União Europeia.

O continente europeu não é o único afetado. Na Ásia, China, Hong Kong, Coreia do Sul e Japão também confirmaram focos de cepas do vírus. No América, também há casos. Na última quarta-feira, a OIE informou que os Estados Unidos relataram a ocorrência do vírus em um pato selvagem na província de Fergus, no Estado de Montana, perto da fronteira com o Canadá.

Na América do Sul, até agora apenas o Chile reportou casos. Na semana retrasada, o país confirmou à OIE a ocorrência de gripe aviária em uma granja de perus na região central de Valparaíso.

Por ora, o Brasil permanece imune – o país nunca registrou caso -, o que pode estimular as exportações de carne de frango do país, segundo analistas. Recentemente, o vice-presidente de mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, afirmou que o Japão, país afetado pela doença, já vem indicando maior demanda pelo produto brasileiro.

Com o intuito de tentar prevenir a gripe aviária, os associados da ABPA anunciaram na semana passada a proibição de visitas às granjas, inclusive de brasileiros. Até então, apenas visitantes vindos de países afetados pelos vírus eram vetados.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *