AUMENTO DA TENSÃO – Trump oficializa aumento de tarifa para 25% sobre produtos da China

Alta de 10% para 25% deve incidir sobre US$ 200 bilhões; vice-primeiro-ministro da China, Liu He, chega nesta quinta aos EUA para continuar as negociações comerciais

Donald Trump assinando documentoFoto: White House/ Divulgação

O Escritório do Representante do Comércio dos Estados Unidos (EUA) divulgou comunicado a respeito da decisão de Washington de elevar tarifas sobre o equivalente a US$ 200 bilhões em importações da China. No documento, publicado no Diário Oficial americano, o órgão diz que as tarifas serão elevadas de 10% para 25% na sexta-feira, dia 10. O anúncio da medida havia sido feito no domingo, dia 5, através de uma publicação na conta oficial do presidente Donald Trump no Twitter.

“Há 10 meses, a China tem pagado tarifas para os Estados Unidos de 25% sobre US$ 50 bilhões de alta tecnologia, e de 10% sobre US$ 200 bilhões em outras mercadorias. Esses pagamentos são parcialmente responsáveis por nossos excelentes resultados econômicos. Os 10% vão até 25% na sexta-feira”, disse o presidente norte-americano na rede social.

  • A decisão de Trump acontece na semana em que o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, visita o país norte-americano. Mesmo com a ameaça de Trump de elevar as tarifas, a viagem representante da China aos EUA foi confirmada. O encontro com a delegação americana deve acontecer entre quinta-feira e sexta-feira e o objetivo é continuar as negociações comerciais.

    China volta atrás em pontos do acordo

    Na quarta-feira, 8, o mercado repercutiu a notícia de que a China havia voltado atrás em importantes pontos do acordo comercial com os Estados Unidos após a ameaça de aumento da taxação.

    De acordo com a consultoria Agrifatto, a informação poderia afastar novamente a expectativa de uma resolução da disputa no curto prazo. No entanto, a medida também foi entendida como uma pressão de Pequim para que os Estados Unidos não elevassem as taxações sobre as importações chinesas, o que de fato não aconteceu.

    Entenda o caso

    Após cúpula no fim do ano passado entre norte-americanos e chineses, em fevereiro, os Estados Unidos haviam adiado o aumento de taxas sobre US$ 200 bilhões. Agora, o representante do Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, acusa a China de negligenciar compromissos anteriores.

    Já o Ministério do Comércio da China reagiu ao anúncio dos Estados Unidos e disse que a escalada das tensões comerciais não será benéfica para as pessoas dos dois países, nem para as que se encontram em outras partes do mundo. O ministério ameaça ainda adotar o que chama de contramedidas, caso o lado americano eleve de fato as tarifas.

    Vale lembrar que em sua publicação no Twitter, Trump afirmou que US$ 325 bilhões em bens adicionais comprados pelos americanos dos chineses permanecem sem cobrança, mas vão ser tarifados em breve, também em 25%.

    Por Canal Rural, com informações da Agência Brasil

    Fonte : Canal Rural,