Ataques de lagartas provocam queda na safra de feijão no sul de SC

Conhecida como ‘falsa medideira’, a lagarta cresce e se multiplica com rapidez. No município de Içara, 40% da produção foi perdida.

Do Globo Rural

A safra de feijão no sul de Santa Catarina vai ter queda. As lavouras foram devastadas pelo ataque de uma lagarta conhecida como ‘falsa medideira’ e tirou o sono de muitos agricultores de Içara, no sul de Santa Catarina.

Na lavoura de José Hercílio Serafim, dos 55 hectares de feijão cultivados, pelo menos 12 foram destruídos. A perda chegou a R$ 4 mil por hectare. O agricultor fala sobre o estrago. “Eu já entrei com seis aplicações, com tudo que você pode imaginar. Se você me perguntar o que eu já usei, eu nem vou saber te dizer”, relata.

O agricultor Cesar Casagrande também está calculando as perdas por causa das pragas. São 17 hectares plantados e em sete o prejuízo chega a 90%. “Ela começa comendo as folhas, depois passa para as vagens, os canivetes e as flores. Não sobra nada no pé. É um horror o que está acontecendo”, declara.

As lagartas que atacam as lavouras de feijão crescem e se multiplicam com muita rapidez. Segundo a Epagre, Empresa de Pesquisa e Extensão Rural de Santa Catarina. Esse tipo de lagarta ataca principalmente no período da noite, o que dificulta ainda mais o cuidado com as plantações.

“Ela é uma lagarta que sempre existiu nas lavouras, a questão é que esse ano foi uma super população de lagartas e também lagartas resistentes aos controles clínicos convencionalmente utilizados”, explica o agrônomo Luiz Fernando Búrigo.

“O desequilíbrio climático certamente também contribui para o desequilíbrio do controle de pragas”, declara Vilmar Warmling, gerente da Cia. Desenvolvimento Agrícola – SC

O município cultiva cerca de 2.500 hectares de feijão. São 62 mil sacas por ano e 40% dessa produção foi perdida.

Segundo técnicos da Epagre, a praga foi controlada. O uso de diferentes produtos químicos acabou com as lagartas. O clima frio também contribuiu nesse processo, mas segundo os especialistas, as plantações continuam sendo observadas. A preocupação é que exista um novo ciclo biológico da lagarta.

A saca de 60 quilos de feijão é vendida por 150 reais na região de Içara.

Fonte: G1