Ataque da lagarta falsa-medideira preocupa produtores em Mato Grosso

Ataque da helicoverpa está sob controle no Estado, revela Aprosoja

Daniel R . Sosa Gomez/ Embrapa

Foto: Daniel R . Sosa Gomez/ Embrapa

Controle é difícil porque a praga ataca a parte inferior da planta, onde a ação do defensivo é menos eficaz

A Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja) expressou em comunicado, divulgado nesta terça, dia 7, preocupação com o forte ataque da lagarta Pseudoplusia includens, mais conhecida no setor como falsa-medideira. Conforme o diretor técnico da entidade, Nery Ribas, o controle é difícil porque a praga ataca a parte inferior da planta, onde a ação do defensivo é menos eficaz.
>> Lagarta falsa-medideira traz preocupação para soja, afirma Embrapa

– Por isso novamente reforçamos que o monitoramento é a melhor medida de prevenção –afirmou Ribas em nota.
Entre os produtores consultados pela associação, Marcos da Rosa, de Canarana, atribuiu a grande incidência da lagarta falsa-medideira em suas lavouras à ocorrência de chuvas durante a aplicação dos defensivos.
– Tem chovido bastante e, às vezes, não dá tempo de o defensivo agir na praga – disse.
Para Alex Utida, produtor e presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis (MT), alguns dos princípios ativos usados no combate da praga estão perdendo a eficiência.
– Eu usei diferentes defensivos e notei que alguns atingiram sua eficácia, outros nem tanto, dificultando o controle da praga – explicou.
A Aprosoja revelou, ainda, que o ataque da lagarta helicoverpa está sob controle no Estado.
>> Confira o especial De Olho na Lagarta

– Na região sul tivemos baixa incidência da helicoverpa devido ao controle e monitoramento intensivo diante dos vários alertas da Aprosoja – relatou Osvaldo Pasqualotto, produtor de Rondonópolis, à associação. 
>> Veja como identificar a helicoverpa e aprenda manejos adequados para controlar a praga no Técnica Rural

Agência Estado

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *