Assembleia avalia ajuste no Fundoleite

Pelo menos duas emendas propondo alterações ao PL 281/2013, que institui o Fundoleite, devem ser apresentadas hoje pela manhã, na Assembleia Legislativa. Apesar de tramitar em regime de urgência, trancando a pauta a partir desta terça, a votação do PL é pouco provável na medida em que há outros projetos polêmicos no caminho. Acolhida pela bancada do PMDB, uma das emendas propõe que o recolhimento do incentivo só se inicie após a instalação do Instituto Gaúcho do Leite (IGL), pleito comum a todas as entidades representativas do setor. ‘Entendemos que primeiro tem que criar a parte estrutural e executora, do contrário não tem sentido algum’, declarou o presidente da Fetag, Elton Weber. Ainda em estudo, a segunda emenda, que estipula nova disposição de vagas no conselho do Fundoleite, não goza de consenso. O que deve esquentar o clima no plenário. ‘Queremos que contemple a representatividade de cada setor’, disse Weber. ‘Quem paga a conta tem que ter dois votos. Farsul e Fetag não pagam conta’, rebateu o presidente da Ocergs, Vergilio Perius. Apesar de discordar, o dirigente descartou apelo a governistas contra a emenda. ‘O que chegou a mim é que a Fetag pleiteava divisão equânime no IGL, aí não tem problema.’

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *