Arrozeiros buscam sustentação

 Redução de produção deve garantir melhor fluxo de escoamento do grão<br /><b>Crédito: </b>  JAIRO DE SOUZA / CP MEMÓRIA

Redução de produção deve garantir melhor fluxo de escoamento do grão
Crédito: JAIRO DE SOUZA / CP MEMÓRIA

Produtores gaúchos dão largada hoje a 22 Abertura da Colheita do Arroz, em Restinga Seca, discutindo questões fundamentais para sustentar o mercado e com boas perspectivas comerciais. Segundo dados do Irga, a produção deve oscilar entre 7,6 e 7,8 milhões de toneladas em 1,05 milhão de hectares. A estimativa, inferior ao recorde do ciclo 2010/11, de 8,9 milhões de t, pode ser considerada indício de melhor escoamento da safra do que no ano passado, de crise. A produtividade esperada esta entre 7,3 mil e 7,5 mil kg/ha sobre a média de 7,6 mil kg/ha da safra passada. A perspectiva é reforçada pela retração da colheita em países do Mercosul que também apresentaram menor área.
Com o cenário, o preço dá sinais de que o ano pode ser diferente. Segundo Bruno Lanzer, do setor de Política Setorial do Irga, a cotação média na última semana foi de R$ 26,00 a saca de 50 quilos quando, nesta mesma época em 2011, estava abaixo do preço mínimo de R$ 25,80, sendo vendida por até R$ 18,00. Mesmo assim, a expectativa é que sábado, na abertura oficial, o governo federal divulgue recursos para apoio à comercialização. O ministro Mendes Ribeiro Filho é aguardado, mas ainda não confirmou sua presença. O setor estima que sejam necessários R$ 1,76 bilhão.
Hoje ocorre o Balcão de Negócios, que reúne Ministério da Agricultura, bancos, produtor e indústria. Segundo o presidente da Federarroz, Renato Rocha, um aquecimento para tratar dos mecanismos públicos e privados. "Estamos começando a safra com sinalização de que o governo federal tem verba para AGF, PEP e Opção." Já o presidente do Sindicato Rural de Tapes e coordenador do movimento "Te Mexe, Produtor", Juarez Petry, quer garantia de renda, seguro e solução para o passivo. Petry está organizando caravanas especialmente para reunir, no sábado, 7 mil produtores em mobilização pró-governo federal. "Vamos demonstrar nosso apoio ao ministro Mendes. Temos a expectativa que sejam anunciadas medidas que evitem a venda abaixo do preço mínimo, como em 2011."

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.