Arroz: comercialização segue lenta

A comercialização de arroz em casca no Rio Grande do Sul manteve-se lenta nos últimos dias, segundo pesquisadores do Cepea. Boa parte das beneficiadoras não ofertou preço de compra. Das poucas empresas compradoras, a maioria abre preço somente para o arroz depositado em seus armazéns.
Representantes de empresas beneficiadoras brasileiras consultados pelo Cepea afirmam que a venda de seus produtos no varejo estaria aquém do esperado e receiam que essa relativa retração da demanda por arroz se mantenha no final do ano devido à dificuldade de transporte para os grandes centros consumidores. Com isso, também suas aquisições junto a produtores seriam desaceleradas.
Orizicultores, por sua vez, estiveram retraídos. Os poucos lotes vendidos foram negociados por produtores com necessidade de “fazer caixa”. O Indicador do Arroz em Casca Esalq/Bolsa Brasileira de Mercadorias-BM&FBovespa (Rio Grande do Sul, 58 grãos inteiros) registrou queda de 2,7% entre 4 e 11 de dezembro, fechando a R$ 36,28/sc de 50 kg na terça-feira, 11.

Fonte: Agronotícias | Autor: Cepea